Bioquerosene

Lufthansa completa com sucesso testes com biocombustível em aviões


Centro Alemão de Informação - 10 jan 2012 - 09:37 - Última atualização em: 28 fev 2012 - 22:45
Nessa segunda-feira (09.01), depois de seis meses de testes envolvendo combustível biossintético, a Lufthansa anunciou os primeiros resultados positivos de sua empreitada. De acordo com a companhia aérea, 1.187 voos entre Hamburgo e Frankfurt abastecidos com 50% de combustível biosintético, a base de óleos vegetais, foram realizados, e segundo cálculos iniciais 1.471 toneladas a menos de CO2 foram emitidas.

Para Joachim Buse, Vice-Presidente de Biocombustível de Aviação da Lufthansa, o projeto atendeu às expectativas da empresa. “O combustível biossintético provou o seu valor para as nossas operações e nos motivou a expandir a sua utilização”, disse.

Nesta quinta-feira, 12.01, a Lufthansa realizará seu primeiro voo transatlântico com uma aeronave abastecida com biocombustível: um Boeing 747-400, transportando cerca de 40 toneladas da mistura de combustível biossintético, voará de Frankfurt para Washington. Apenas com este vôo, a Lufthansa espera reduzir em 38 toneladas suas emissões de CO2, o equivalente às emissões de seis voos regulares entre Frankfurt e Berlim.

"Como próximo passo, vamos concentrar-nos sobre a adequação, disponibilidade, sustentabilidade e certificação de matérias-primas. A Lufthansa quer entrar de vez neste mercado, mas ela só vai conseguir permanecer nele, mesmo após os bem sucedidos testes, se formos capazes de garantir volume de sustentável e certificado das matérias-primas necessárias a fim de manter as nossas operações de rotina", sublinhou Buse.

A indústria da aviação assumiu um grande papel em termos da proteção do clima e fixou metas ambiciosas. De acordo com a IATA, as companhias aéreas tem como objetivo reduzir globalmente suas emissões de CO2 em 50% até o ano de 2050, comparado a 2005. "Se queremos proteger o nosso clima e, portanto, o nosso futuro de forma sustentável, precisamos de ideias e tecnologias inovadoras e uma alternativa ecológica aos combustíveis fósseis, tendo em vista, particularmente a crescente demanda por todo o mundo da mobilidade", concluiu Christoph Franz, Presidente do Conselho Executivo da Lufthansa AG.

Glaucimara Silva - Centro Alemão de Informação