Mistura

MME passa a acompanhar uso do biodiesel no transporte público


BiodieselBR - 30 nov 2011 - 07:21 - Última atualização em: 27 fev 2012 - 14:01

O Boletim Mensal dos Combustíveis Renováveis do Ministério de Minas e Energia (MME) começou a acompanhar as autorizações para testes e usos específicos de biodiesel emitidas da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Essas autorizações têm sido utilizadas, entre outras coisas, para permitir o uso de misturas maiores de biodiesel por empresas de transporte urbanos – um tipo de atalho para experiências relacionadas ao chamado biodiesel metropolitano.

Em outubro, a ANP deu autorizações para que cinco empresas paulistanas de transporte urbano abasteçam seus carros com B20 e B10, criando uma demanda extra de 98,6 milhões de litros de biodiesel ao ano. Essas empresas vão integrar a Ecofrota, programa da prefeitura de São Paulo para a substituição de combustíveis fósseis por alternativas renováveis no transporte público da cidade.

A Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro (Fetranspor) também foi autorizada a fazer testes rodando com diesel feito de cana-de-açúcar fabricado pela Amyris.

O potencial para que as frotas das empresas de transporte público venham a se tornar um mercado adicional para o biodiesel nacional através de adoção de misturas maiores surgiu em mais de uma das palestras da Conferência BiodieselBR 2011.

O diretor da ANP, Allan Kardec, apontou que isso abre uma janela para que as usinas ampliem suas vendas tem precisar ficar esperando a aprovação do novo marco regulatório do setor de biocombustíveis. Ricardo Dornelles, diretor do MME, bateu sobre essa mesma tecla ao dizer que é preciso mais engajamento por parte dos governos estaduais e municipais no PNPB. O caminho para esse apoio dos governos seria a mobilização dos produtores de biodiesel, os maiores interessados.

Fábio Rodrigues - BiodieselBR.com