Soja

Nova tensão EUAxChina pressiona soja


Agrolink - 04 mai 2020 - 10:37

O preço da soja na Bolsa de Cereais de Chicago (CBOT) registrou na sexta-feira (01) baixa de 5,60 pontos no contrato de Julho/20, fechando em US$ 8,494 por bushel. Os demais vencimentos em destaque da commodity na CBOT fecharam a sessão com desvalorizações entre 3,75 e 5,75 pontos.

Os principais contratos futuros fecharam a semana com perdas no mercado norte-americano da oleaginosa, com novas tensões entre EUA-China pressionaram as cotações. “Com perdas em uma roda operacional dominada pelo pessimismo diante das novas tensões entre a China e os EUA, Trump responsabilizou a China pelo vírus e ameaçou cobrar novas tarifas sobre o comércio em retaliação”, aponta a T&F Consultoria Agroeconômica.

“Do gigante asiático eles indicaram que estariam dispostos a responder. Isso ofuscou a oficialização de novos negócios de exportação de soja para 264.000 tons para o gigante asiático. Produtivamente, um clima favorável para o plantio de soja e milho nos EUA permitiu progressos no ritmo das tarefas”, destacam os analistas.

Os futuros de farelo de soja caíram US$ 1,90 para US$ 2,20/tonelada na sexta-feira. Os futuros do óleo de soja terminaram a semana com ganhos de 9 a 10 pontos, o óleo de maio terminou 109 pontos na semana. Exportadores privados relataram 264.000 MT (ano de entrega dividido em 50/50) de soja vendida para a China sob o sistema de relatórios diários.

O relatório USDA Fats and Oils mostrou um recorde de 5,23 MT de soja esmagada em março, o que dá uma média de 168,73 mil tons por dia – também um recorde. “Os Fundos inverteram sua posição líquida de venda da CFTC de volta depois de muito tempo de alguma cobertura curta na que terminou em 28 de abril. Na terça-feira, houve novos vendedores de especificações de farelo de soja, o que elevou a posição líquida dos Fundos para 7.964 contratos a menos. O negociador de óleo de soja subiu 5.105 contratos na semana, mas sua posição líquida avançou”, conclui a T&F.