EUA

EUA corta ainda mais a safra de soja dos EUA e Chicago dispara


Canal Rural - 11 nov 2020 - 10:54

O relatório de novembro do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) indicou que a safra norte-americana de soja deverá ficar em 113,49 milhões de toneladas (4,17 bilhões de bushels) em 2020/2021, bem abaixo da estimativa de mercado que era de 115,7 milhões de toneladas (4,253 bilhões de bushels).

A estimativa anterior, de outubro era de que a produção de soja do Estados Unidos pudesse chegar a 116,1 milhões de toneladas (4,268 bilhões de bushels).

A produção da safra anterior, 2019/2020 foi de 96,6 milhões de toneladas (3,552 bilhões de bushels). Os estoques finais em 2019/2020 devem ficar em 14,2 milhões de toneladas (523 milhões de bushels).

Outra surpresa para os operadores de mercado veio dos estoques finais de soja para 2020/2021 que agora devem ficar em 5,17 milhões de toneladas (190 milhões de bushels). O mercado apostava em pelo menos 6,5 milhões de toneladas (239 milhões de bushels).

No relatório de outubro a estimativa era de 7,9 milhões de toneladas de soja estocadas (290 milhões de bushels)

O USDA indicou esmagamento em 59,3 milhões de toneladas (2,180 bilhões de bushels) e exportação de 59,8 milhões de toneladas de soja (2,200 bilhões de bushels), repetindo as estimativas de outubro.
Chicago dispara

Após os relatórios de safra e estoque de soja dos Estados Unidos trazerem cortes ainda maiores que os esperados pelo mercado, a Bolsa de Chicago que já operava em alta, disparou 3%.

O mercado, que já vinha com boa alta durante o dia e disparou após a divulgação do relatório de novembro do USDA. A posição janeiro de 2021 era cotada a US$ 11,43 por bushel, avanço de 32,75 centavos de dólar por bushel, ou 2,94%. A posição março de 2021 era cotada a US$ 11,40 por bushel, ganho de 32,00 centavo de dólar por bushel, ou 2,88%.

Previsão para o mundo

O USDA projetou também que a safra mundial de soja em 2020/2021 deve ficar em torno de 362,64 milhões de toneladas. Em outubro, o número era de 368,47 milhões de toneladas.

Os estoques finais mundiais estão estimados em 86,52 milhões de toneladas. O mercado esperava por estoques finais de 87,6 milhões de toneladas. Em outubro, a previsão era de 88,7 milhões de toneladas.

A estimativa da entidade para as importações chinesas em 2020/2021 é de 100 milhões de toneladas, mantendo a previsão do mês anterior.

Brasil e Argentina

Segundo a entidade, a safra brasileira teve sua estimativa mantida em 126 milhões de toneladas.

A safra argentina seguiu estimada em 49 milhões de toneladas.

Daniel Popov – Canal Rural