Argentina

Argentina deve anunciar novas mudanças para o biodiesel


BiodieselBR.com - 22 nov 2012 - 15:12 - Última atualização em: 29 nov -1 - 20:53
reuniao argentina_biodiesel_221112
Nesta quarta-feira (21), pela segunda vez em oito dias, o governo argentino se reuniu com os principais produtores de combustíveis do país. O objetivo da reunião teria sido resolver de vez o nó criado em torno do abastecimento do mercado argentino com biodiesel.

Nesta última terça-feira começou a circular a informação de que as petrolíferas não estavam conseguindo biodiesel em volume o suficiente para cumprir a mistura obrigatória de 7%.

As empresas foram convocadas por ordem do secretario de Energia, Daniel Cameron, mas quem lidera as negociações é o vice-ministro da Economia, Axel Kicillof, e o secretário do Comércio Interior, Guillermo Moreno. Se um novo acordo for firmado, será o terceiro remendo normativo que se aplicará aos biocombustíveis esse ano.

Aparentemente, o motivo da reunião se deve às pequenas e médias empresas (PMEs) produtoras de biodiesel, que vem enfrentando dificuldades em se manter no operando desde que o governo baixou os valores pagos pelo biodiesel no mercado interno. As PMEs esperam que antes do fim de semana o governo libere um novo preço para o biocombustível que garanta rentabilidade para as usinas. Segundo o jornal La Nacion, 20 empresas já estão paradas.

A Argentina é o maior exportador de biodiesel e deve produzir cerca de 3 milhões de toneladas neste ano. Parte da produção, principalmente das pequenas e médias usinas, é destinada ao consumo interno já que, atualmente, a mistura com o diesel no país é de 7%.

Flutuações
Desde agosto desse ano, a indústria de biodiesel argentina está tentando voltar as eixos depois do governo do País ter promovido uma série de mudanças em suas políticas para o biocombustível. A modificação mais importante foi a redução de 15% no preço interno da tonelada do biodiesel, anunciada junto com a um aumento nas tarifas pagas para a exportação do produto”.

Cerca de um mês depois, o governo mudou de ideia e anunciou um novo sistema no qual as alíquotas de impostos de exportação passariam a ser atualizados a cada 15 dias no intuito de amortecer os efeitos provocados pela anterior alteração anterior. Simultaneamente, a tarifa foi reduzida para 19,11%.

Entretanto, as PMEs estão sendo as mais afetadas pelas mudanças, principalmente pela redução dos preços internos. Uma das medidas que vem sendo estudada é a criação de preços diferenciados para as usinas de acordo com seu porte.

Patrícia Herman – BiodieselBR.com
Com informações: La Nacion, Ambito, Business Week
Tags: Argentina