Informações

Caramuru suspeita de pagar R$ 1,8 mi em propina para evitar multa milionária


Folhamax - 05 mai 2017 - 17:43

A Caramuru está sendo investigada pela Operação Zaqueus deflagrada nessa quarta-feira (03) pela Delegacia Especializada em Crimes Fazendários do Mato Grosso (Defaz-MT). A empresa é suspeita de ter pago R$ 1,8 milhão em propinas para servidores da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz-MT) para evitar uma multa no valor de R$ 65,9 milhões. O caso aconteceu em 2014.

O pagamento foi confirmado por representantes da emprega goiana ao Ministério Público alegando ter sido alvo de extorsão. "A Caramuru Alimentos S/A esclarece que foi vítima de extorsão por parte de agentes públicos e adotou postura corajosa para colaborar com as investigações e corrigir irregularidades", diz um trecho de uma nota encaminhada pela empresa à imprensa local do Mato Grosso.

Segundo os executivos da Caramuru confirmaram, o dinheiro pago garantiu que o montante devido à Sefaz-MT fosse reduzido para apenas R$ 315 mil.

O delegado da Defaz, Lindomar Tofolli, confirmou que a empresa está colaborando com as investigações. No entanto, ele negou que ela possa ser considerada vítima. “Ela teve participação sim, tanto que se dispôs a pagar o valor devido sim. Então, não vejo dentro do contexto como extorsão”, disse o delegado.

A empresa se comprometeu a ressarcir integralmente aos cofres do governo mato-grossense os R$ 65,9 milhões devidos.

Informações Folhamax
Com adaptação BiodieselBR.com

Tags: Caramuru