Acidentes

Apuração sobre explosão que matou 3 na Biocapital há mais de 1 ano não tem prazo para conclusão


G1 - 28 jan 2020 - 09:50 - Última atualização em: 31 jan 2020 - 10:25

Um ano e quatro meses após uma explosão matar três pessoas em uma indústria química, no dia 9 de outubro de 2018, em Charqueada (SP), a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) ainda não concluiu um relatório sobre as causas do acidente e não deu prazo para entrega do documento.

Segundo o próprio órgão fiscalizador, possíveis aplicações de penalidades contra a Biocapital só vão ocorrer após a conclusão deste processo de investigação.

No mesmo dia da explosão, a ANP informou que fiscalizaria a empresa para verificar as causas da explosão e se a indústria cumpria a resolução de comunicação de incidentes.

Dois dias depois, a agência interditou a empresa e informou que abriria um processo de investigação. A empresa recebeu 30 dias para apresentar um relatório do ocorrido, mas o prazo foi descumprido.

Já em abril de 2019, a ANP desinterditou a empresa. Segundo a agência, com a desinterdição, a empresa Biocapital poderia retornar às operações, mas sem a produção de biodiesel, já que não possuía mais autorização para essa atividade. A ANP informou que a própria empresa pediu para não produzir mais biocombustível.

Questionada sobre o motivo do relatório de investigação ainda não ter sido concluído, a ANP informou que se deve à "complexidade da análise da necessidade de obtenção de mais informações da empresa". E não informou prazo para a emissão do documento, mas ressaltou que há prioridade neste caso.

Poluição ambiental

A Cetesb informou, em outubro de 2018, que emitiu multas à empresa por despejo inadequado de resíduos líquidos industriais e por emissão de odores. O órgão também descartou que houve vazamento químico após a explosão.

O caso

A explosão ocorreu às 9h em um reator com óleo, segundo um funcionário ouvido pela EPTV à época. O equipamento, que fica nos fundos da indústria, estava alvejando óleo de soja refinado, conforme o funcionário.

De acordo com a Polícia Civil, morreram no acidente Igor Barros da Silva, de 20 anos, Luis Gustavo dos Santos, de 31 anos, e Claudio Bozzo Júnior, de 30 anos.

Empresa lamenta

As ligações para a Biocapital não foram atendidas na última semana. A indústria também não respondeu a um e-mail com questionamentos. À época do acidente, comunicou que prestava auxílio às famílias das vítimas e que colabora com as investigações.

"As causas do acidente estão sendo apuradas pelas autoridades competentes, estando a Biocapital à disposição para prestar todos os esclarecimentos necessários, colaborando, sem medir esforços, com a investigação para a elucidação dos fatos. Nos solidarizamos com as famílias da vítimas, que contarão com nosso total auxílio e apoio", informou, na ocasião.

Também informou que não produz biodiesel desde 2015, que tinha apenas a licença da ANP e preferiu não se manifestar sobre o acidente ou a liberação para funcionamento.

Incêndio recente

No último dia 19 de janeiro, o Corpo de Bombeiros foi acionado para atender um princípio de incêndio na mesma empresa. Segundo a corporação, a brigada da Biocapital conseguiu controlar as chamas e não houve registro de feridos.