RenovaBio

Agtech paulista oferece análise de solo para mercado de créditos de carbono


Valor Econômico - 03 nov 2020 - 09:42

A startup Agrorobótica, de São Carlos, parceira da Embrapa Instrumentação, espera que a comercialização de créditos de carbono a partir de suas análises do solo agrícola passe a ser feita em março de 2021.

Em junho, a empresa inaugurou um laboratório e, desde então, tem feito a análise de 250 amostras por dia, metade de sua capacidade total.

“Com a utilização de uma tecnologia de raios laser que mede a presença do CO2 em folhas e no solo conseguimos, em um primeiro momento, medir de forma precisa e em larga escala o carbono estocado e, em um segundo momento vamos negociar, junto com o agricultor, os créditos de carbono no mercado”, explica Fábio Angelis, sócio fundador e CEO da Agrorobótica.

Segundo ele, as empresas que têm demonstrado interesse em negociar esses créditos no Brasil são gigantes globais e também empresas de grande porte brasileiras dos segmentos químico, de infraestrutura e petróleo. “São empresas que têm um perfil de emissão alta e buscam oportunidades de fazer compensações”, afirma.

As análises feitas pela Agrorobótica, usando inteligência artificial, validam o sequestro das áreas agrícolas com laudos completos das amostras em menos de um dia, enquanto outras técnicas chegam a levar mais de 15 dias para ficarem prontas.

Atualmente, 1 tonelada de CO2 equivale a 1 crédito de carbono, comercializado no exterior a preços que variam de 4 a 7 euros.

A Agrorobótica recebeu, em 2018, investimento da Empresa Brasileira de Pesquisas e Inovação Industrial (Embrapii) e, em 2019, da empresa de investimentos [email protected] — que comprou participação de 20% no negócio. O valor dos aportes não foi divulgado.

Marina Salles – Valor Econômico