Especificação

UFG vai monitorar qualidade de combustíveis de 2,2 mil postos de Goiás e DF


Mais Goiás - 14 jul 2021 - 09:59

O Laboratório de Métodos de Extração e Separação (Lames), da Universidade Federal de Goiás (UFG), vai monitorar a qualidade dos combustíveis comercializados em Goiás e no Distrito Federal. Ao todo, serão vistoriados cerca de 2,2 mil postos, distribuidoras e transportadores-revendedores-retalhista (TRR’S). Estabelecimentos serão avaliados duas vezes ao ano, uma a cada semestre. A exceção fica por conta das 30 bases distribuidoras goianas e nove localizadas no DF, que vão ser verificadas uma vez por mês.

A vistoria vai ocorrer após a vitória do laboratório na licitação lançada pela Agência Nacional de Petróleo (ANP). Agora, os estabelecimentos devem realizar pré-cadastro na página do Lames para que a assinatura dos contratos seja feita até o próximo dia 30 de julho, prazo limite estipulado pela Agência.

A avaliação faz parte do Programa de Monitoramento da Qualidade dos Combustíveis (PMQC) e serve para verificar quais são os índices de conformidade e de não-conformidade da qualidade dos combustíveis comercializados em uma determinada localidade.

Em Goiânia, a gasolina já é encontrada a R$ 6,37 em alguns postos da capital. O etanol tem custado, em média, R$, 4,67 e o diesel R$ 4,4.

Como funciona

Depois de realizado o cadastro, equipes do laboratório vão até os estabelecimentos e coletam um litro de cada combustível, desde que seja etanol hidratado, óleo diesel B ou gasolina C. As amostras são levadas para o laboratório e analisadas com relação à qualidade.
A partir das análises, é emitido um boletim de qualidade em forma de laudo que é enviado à ANP, que remete os resultados aos agentes econômicos monitorados.
Conforme o Laboratório, os combustíveis serão avaliados duas vezes ao ano, normalmente uma vez a cada semestre, nos 1801 postos e 27 TRR’s localizados em Goiás e nos 337 postos e 2 TRR’s do Distrito Federal. Já as 30 bases distribuidoras goianas e as 9 distribuidoras do DF serão monitoradas uma vez por mês.

Pré-cadastro

Os estabelecimentos do segmento deverão fazer pré-cadastro no site do laboratório até o dia 30 de julho. A partir disso, será configurado um contrato que deverá ser assinado pelos agentes monitorados. “Esse contrato apresenta as condições de coleta e análise dos combustíveis, bem como o valor total da coleta, transporte até o Lames e análises que iremos executar para os combustíveis gasolina C, etanol hidratado e óleo diesel B”, explicou o coordenador-geral do Lames-UFG, professor Nelson Roberto Antoniosi Filho.

Segundo ele, há penalidades para aqueles locais que se recusarem a participar do Programa de Monitoramento da Qualidade dos Combustíveis (PMQC). “As penalidades chegam até ao impedimento da comercialização de combustíveis”, alerta.