Emissões

Volkswagen é processada por regulador do mercado financeiro dos EUA


BiodieselBR.com - 15 mar 2019 - 09:52

A Volkswagen foi processada pela Securities and Exchange Commission (SEC), o órgão regulador do mercado de capitais nos Estados Unidos, por não divulgar aos investidores que seus veículos movidos a diesel violaram os padrões de emissões de gás, a última reviravolta em um escândalo de fraude de software que já custou à empresa mais de US$ 30 bilhões.

A montadora alemã vendeu bilhões de dólares de títulos corporativos e títulos lastreados em ativos nos EUA de 2010 a 2015, enquanto escondia seu esquema de fraude de emissões de poluentes, conhecido como ‘Dieselgate, de acordo com a queixa apresentada pelo órgão regulador, quinta-feira, no Tribunal Federal de São Francisco. O caso poderia dar um novo impulso a esforços semelhantes de reparação por parte de investidores europeus.

“Os investidores não sabiam que a VW estava mentindo para os consumidores para enganá-los a comprar seus carros a 'combustível limpo’ e mentir para as autoridades do governo para vender veículos no país que não cumprissem com os padrões de emissão dos EUA”, alegou a SEC.

A VW disse que a queixa da SEC é "legal e factualmente falha" e que a empresa "contestará vigorosamente" a sentença. A montadora acusou a Comissão de Valores Mobiliários dos EUA de "tentar extrair mais da empresa" mais de dois anos depois dos acordos fechados com o Departamento de Justiça americano.

“A SEC apresentou uma reclamação sem precedentes sobre títulos vendidos apenas a investidores sofisticados que não foram prejudicados e receberam todos os pagamentos de dividendos e do principal na íntegra e no prazo”, disse o porta-voz da VW, Christopher Hauss, em comunicado enviado por e-mail. “A SEC não comprova que qualquer pessoa envolvida na emissão de títulos sabia que os veículos a diesel da Volkswagen não cumpriam as regras de emissões dos EUA quando esses títulos foram vendidos, mas simplesmente repete reivindicações não comprovadas sobre o ex-CEO da Volkswagen que não participou das vendas", acrescentou o porta-voz.

Após a divulgação do processo pela SEC, as ações da montadora alemã registraram queda de 0,2%, sendo negociadas a € 148, logo após a abertura da Bolsa de Frankfurt.

Alegações de que a Volks escondeu informações sobre o software de emissão de gases usado em seus carros a diesel pairaram sobre a empresa desde que o escândalo veio à tona, em 2015. A crise envolveu 11 milhões de veículos a diesel em todo o mundo e custou à companhia, com sede na cidade alemã de Wolfsburg, cerca de € 28 bilhões (US$ 32 bilhões) até o momento.

Ação coletiva

Um tribunal na cidade alemã de Braunschweig está atualmente avaliando uma ação coletiva ajuizada por milhares de investidores com reclamações que totalizam mais de € 9 bilhões. A Corte agendou a próxima audiência no caso para o dia 25 deste mês.

Os promotores alemães também estão investigando criminalmente se o atual diretor executivo, Herbert Diess; o presidente da empresa, Hans Dieter Poetsch, e o diretor executivo na época Martin Winterkorn informaram aos investidores muito tarde sobre as violações do diesel da VW e seu possível impacto. Os promotores decidirão neste ano se vão ou não alegar manipulação de mercado contra o trio. A Volkswagen também disse na última terça-feira que uma investigação administrativa foi aberta contra a empresa como parte do caso.

A montadora alega repetidamente que prestou informações aos mercados em tempo integral, e os três executivos negaram as alegações. A SEC informou a empresa que poderia apresentar uma ação de execução relacionada a uma investigação iniciada formalmente em janeiro de 2017, informou a Volks em seu relatório anual.