MT registra maior montante de soja em grão esmagado em 5 anos

Entre janeiro e julho foram esmagadas 5,4 milhões de toneladas de soja em grão em Mato Grosso, o maior montante do acumulado no período dos últimos cinco anos. Somente em julho foram esmagadas 783,6 mil toneladas. Os dados constam no relatório semanal do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), que foi divulgado nesta segunda (28).

Apesar do recorde, a margem bruta de esmagamento no mesmo período foi a menor desde 2012, ficando em uma média de R$ 223,71 por tonelada. O Imea pontua que mesmo com a margem desfavorável, a grande oferta do grão ainda tem mantido o processamento elevado.

Contudo, um fator que pode trazer uma nova perspectiva à margem bruta em Mato Grosso “é a sinalização anunciada na última semana pelo Departamento de Comércio dos EUA (DOC) de aumento da taxa de impostos sobre a importação de biodiesel argentino”.

O instituto explica que caso a medida se concretize, o fato poderá trazer reflexos positivos sobre as cotações externas do óleo, o que pode impactar nos preços dentro do Brasil. Apesar disso, os preços de farelo de soja ainda tendem a continuar baixos em Mato Grosso devido à demanda fraca. O preço da soja ficou cotado na semana passada em R$ 53,23 por saca em Mato Grosso.

Escoamento

O boletim do Imea ainda pontua que até a última semana, 88,4% da produção da atual safra 16/17 já havia sido comercializada. O número representa, porém, um atraso de 6,8 pontos percentuais em relação à comercialização da oleaginosa nesse mesmo período na safra 2015/2016.

Nesse ano, já foram exportadas 15,9 milhões de toneladas de soja. O escoamento ocorreu principalmente pelo porto de Santos, onde 8 milhões de toneladas foram enviadas para os países compradores. Logo em seguida aparecem os portos de Barcarena (2,7 milhões) e Manaus (1,4 milhões).

Os principais compradores do insumo de Mato Grosso até agora foram a China (10,4 milhões), Espanha (1,1 milhões) e Tailândia (730 mil).

Biodiesel direto em seu email

Antes de sair, cadastre-se para receber as principais notícias do setor
Obrigado, não quero ficar informado.