Matérias-primas alternativas

Petrobras deve pagar mais de R$ 2 por óleo de peixe para biodiesel


Diário do Nordeste - 30 nov 2012 - 13:53 - Última atualização em: 29 nov -1 - 20:53
audiencia biopeixe_301112

O projeto foi formalizado num acordo firmado pela Petrobras e o Ministério da Pesca e Aquicultura em outubro passado. Na semana passada, ele ficou um passo mais perto da realidade depois que a Fundação Núcleo de Tecnologia Industrial do Ceará (Nutec) lançou a Máquina Biopeixe que processa vísceras e outros resíduos gerados pela indústria pesqueira na extração de óleo de peixe.

Segundo o secretário Ricardo Campos, o Ceará produz cerca de 30 mil toneladas de tilápia por ano, sendo 3 mil toneladas de vísceras. Se todo esse material puder ser processado com a tecnologia desenvolvida pela Nutec seriam produzidas 1.500 toneladas de óleo de peixe anualmente.

O gerente setorial da usina de biodiesel da Petrobras em Quixadá, Silvano Cavalcante, confirmou que há interesse em financiar as máquinas a fim de consolidar e implantar o sistema em 2013. A perspectiva é que o óleo gerado supra a usina cearense.

Sustentabilidade
A máquina dá destino mais adequado às vísceras, evitando a poluição ambiental, destacou o deputado Lula Morais (PC do B), autor do requerimento da audiência pública realizada ontem, na Assembleia Legislativa, sobre o projeto. "Uma máquina dessas funcionando dez horas por dia no Castanhão, com o que hoje produz de víscera, gera R$ 400 por dia. Por mês, ela pode gerar em torno de R$ 12 mil".

O coordenador do Laboratório de Biocombustíveis do Núcleo de Tecnologia Industrial do Ceará (Nutec), Jackson Malveira, destacou que o óleo produzido é de "excelente qualidade". Ele também disse que o objetivo é adequar às exigências da Agência Nacional de Petróleo. Hoje estão sendo realizada os últimos testes do protótipo em Pentecoste. O equipamento, que custou R$ 72 mil, foi elaborado por estudiosos do Nutec e da Universidade Federal do Ceará. 

Com adaptações BiodieselBR.com