PUBLICIDADE
cremer cremer
Matérias-primas alternativas

Jaguaribara vai contar com usina de biodiesel


BiodieselBR.com - 21 jan 2013 - 16:42 - Última atualização em: 29 nov -1 - 20:53
biodiesel jaguaribara_210113
O município de Jaguaribara (CE) irá produzir combustível a partir de vísceras de peixe. Para tanto, o diretor-geral do Departamento Nacional de Obras contra as Secas (Dnocs), Emerson Fernandes, autorizou, na quinta-feira passada (17), a transferência de unidade de produção de biodiesel para a Prefeitura de Jaguaribara.

O equipamento com capacidade produtiva para 8 mil litros diários pertence ao Dnocs e atualmente está instalado em Missão Velha (CE) onde se encontra parado.

A solicitação para que a miniusina recebesse um novo destino foi feita pela vice-prefeita de Jaguaribara, Maria Emília Diógenes. Localizado às margens do açude Castanhão, o município está animado com a possibilidade de fabricar biodiesel a partir do processamento de vísceras e resíduos da atividade pesqueira. A iniciativa beneficiaria os os pescadores da Associação dos Criadores de Tilápia do Curupati (Acritic).

Prefeitura ainda precisa formalizar a solicitação, mas o Dnocs já sinalizou sua disposição para atender ao pedido.

Detalhamento
A usina é parte do projeto de um Centro de Biocombustíveis incluindo a fábrica de biodiesel e uma usina de etanol que será apresentado ao ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, em reunião ainda a ser agendada e que contará com a presença do diretor-geral do Dnocs.

Emerson Fernandes anunciou o compromisso com o projeto do Centro de Biocombustíveis e de fazer o necessário para que seja viabilizado. O diretor-geral manifestou apoio à ideia de usar a cana-de-açúcar como uma opção para o uso de terras que antes produziam arroz, mas se tornaram inviáveis para essa cultura, e ao projeto de produção de biocombustível a partir das vísceras de peixe.

Em outubro passado, a Petrobras Biocombustível assinou um acordo com o Ministério da Pesca para estimular o aproveitamento dos resíduos de pesca na fabricação de biodiesel. Cerca de um mês mais tarde, a estatal e Fundação Núcleo de Tecnologia Industrial do Ceará lançaram a Máquina Biopeixe, uma tecnologia desenvolvida especialmente para permitir o processamento desses resíduos.

Além do biodiesel, o óleo de peixe também poderá ser vendido à empresas interessadas na fabricação de Omegra 3 para suplementos alimentares de alto valor agregado.

Com adaptação BiodieselBR.com