Dendê / Palma

Fitch: La Niña pode reduzir em preços dos óleos vegetais em 2021


Estadão Conteúdo - 07 out 2020 - 09:59

A Fitch Rating prevê que o padrão climático provocado pela passagem do fenômeno La Niña, que induz maior incidência de chuvas, deve interferir nas regiões produtoras de óleo de palma bruto (CPO) da Indonésia e da Malásia, impulsionando o crescimento dos frutos.

Como consequência, a produção do óleo vegetal tende a subir e reduzir os preços, diz a Fitch Ratings. No entanto, a maior precipitação também pode levar a inundações e pode afetar a produção, sustentando os preços nos próximos três a seis meses.

“Presumimos que os preços médios caiam para US$ 560 a tonelada em 2021 em virtude do aumento da produção, além do risco de menor demanda de biodiesel na Indonésia, por causa dos fracos preços do petróleo bruto.”

A duração e a intensidade do La Niña são um risco importante para as projeções de preços em 2021, já que o fenômeno prolongado e forte poderia atingir a produção, não apenas do óleo de palma, mas de outros óleos comestíveis concorrentes. A Agência Meteorológica, Climatológica e Geofísica da Indonésia previu um La Niña de intensidade baixa a moderada nos últimos três meses de 2020 – e a agência espera que cerca de 55% da Indonésia receba mais precipitação do que a média.

Geralmente, Sudeste da Ásia, África do Sul, Índia e Austrália recebem chuvas acima do normal em virtude do La Niña, enquanto Argentina, Europa, Brasil e sul dos Estados Unidos apresentam clima mais seco.