Eventos

Diesel, renovável e barato?


BiodieselBR.com - 31 out 2012 - 15:56 - Última atualização em: 01 nov 2012 - 17:39
Michael Rinelli
O diretor de desenvolvimento de negócios para o Brasil da LS9, Michael Rinelli, apresentou na Conferência BiodieselBR 2012 o projeto da empresa para a produção de biodiesel feito de cana-de-açúcar no país. A companhia estaria próxima de conseguir produzir combustível renovável a um custo de R$ 1,80 por litro. “Possivelmente em 2013 a gente já tenha atingido essa meta”, apostou.

O executivo apontou que o custo baixo é resultado de uma tecnologia que conseguiu enxugar o processo produtivo ao máximo: basta fermentar a matéria-prima para chegar ao diesel renovável.

A LS9 produz combustível a partir da modificação de três genes da bactéria Escherichia coli MG1655. Trata-se de uma variante da mesmíssima E. coli notória por causar infecções alimentares. Ele explica que a alteração genética faz com que o microrganismo passe a se alimentar de açúcares e a secretar ésteres, álcoois e alcanos. “Nossa bactéria tem apenas duas micra [equivalente à milésima parte de um milímetro] e consegue fazer tudo o que uma refinaria de petróleo precisa de milhares de metros quadrados para fazer”, gabou-se o executivo.

Conforme o palestrante explicou ao público da conferência, o diesel renovável é apenas o produto da empresa que se encontra mais perto de atingir maturidade comercial. “Com outras modificações, nossas bactérias podem fabricar outros produtos”, explicou. Outra vantagem está no fato dos microrganismos não serem nada exigentes em termos de matérias-primas. Por enquanto, eles estão usando os açúcares convencionais da cana, mas a empresa vem estudando a possibilidade de usar outros materiais disponíveis no mercado, entre os quais o glicerol fabricado como coproduto do biodiesel.

O foco atual da empresa é usar essa inovação para produzir substitutos renováveis para os derivados do petróleo. “Nosso processo tem um produto com flexibilidade no comprimento da cadeia de carbono”, contou Rinelli. Para implantar a produção de biodiesel de cana, adiantou, só é preciso “desviar o xarope da cana, eletricidade e o vapor nas unidades produtoras existentes”. Hoje a LS9 já está produzindo combustível num reator com capacidade para 135 mil litros. “Estamos aumentando isso gradualmente e tentando manter nessa escala a mesma eficiência observada no laboratório”, relatou.

O combustível produzido pela empresa é distribuído para parceiros que testam o produto. Segundo Rinelli, o biodiesel de cana tem obtido excelentes resultados. “Ele apresenta baixíssimo teor de enxofre e baixo ponto de entupimento a baixas temperaturas. Já o cetano é alto”, revelou. “Nosso biodiesel está sendo testado desde 2010 e tem passado com bastante sucesso, atingindo os objetivos e a qualidade necessária.”

O maior desafio tem sido baixar o preço do produto final, mas Rinelli garante que a empresa tem conseguido avanços significativos. No ano passado um litro do diesel renovável poderia chegar a R$ 7, mas a meta é chegar em 2013 com um preço perto de R$ 1,80. Depois disso a empresa deverá trabalhar para dar mais visibilidade comercial para seu produto.

“Em 2013 devemos ter algum volume de produto para distribuição comercial. Mas nossa plataforma comercial terá início no Brasil em 2014”, concluiu.

Rosiane Freitas – BiodieselBR.com

banner revista_31
Tags: C2012