Eventos

Os principais argumentos e discussões da Conferência BiodieselBR 2012


BiodieselBR.com - 31 out 2012 - 16:28 - Última atualização em: 01 nov 2012 - 14:57

Confira um resumo com os principais argumentos e discussões do maior evento de biodiesel da América Latina

Miguel Angelo - 330 pessoas de 11 países e quatro continentes participaram do evento.
- Desde o lançamento do PNPB, as usinas brasileiras produziram 10 bilhões de litros de biodiesel.
- Os argumentos e explicações são uma constante. As usinas seguem pressionando pelo aumento da mistura e exaltam as externalidades positivas. O governo continua dizendo que é preciso avaliar melhor o que já foi feito e qual o impacto que o aumento da mistura terá no preço do diesel, no preço da soja, no preço do transporte público e ainda tem dúvida se haverá matéria-prima para o B10 ou para o B20.

A escolha do médico Paulo Saldiva para abrir a conferência foi para que tenhamos em mente que o biodiesel gera benefícios que não podem ser mensurados em notas de cem reais.
Veja aqui o resumo completo desta palestra.


Paulo Saldiva
  • Os estudos apontam que uma redução de 10% na poluição do ar na cidade de São Paulo poderia salvar a vida de quase 114 mil pessoas adultas e cerca de 735 crianças por ano.
  • A diferença entre o nível de poluição médio registrado em São Paulo em relação ao de Curitiba significa 3,5 anos a mais de expectativa de vida.
  • Se levarmos em conta os gastos extras com a saúde da população, os prejuízos com mortes prematuras e as quedas de produtividade decorrentes da poluição, ficaria evidente que trocar o diesel fóssil por um renovável é um bom negócio.
O Ministério da Saúde tinha que estar aqui [nesta conferência], porque é ele que paga a conta.
Veja aqui o resumo completo desta palestra.


Rodrigo Rodrigues
  • A concentração é um gargalo, pois a produção está muito concentrada em regiões distantes das bases de distribuição.
  • A diferença de preço entre o biodiesel e o diesel é uma preocupação constante do governo. Mesmo durante a menor diferença registrada – entre outubro e dezembro de 2010 – o preço médio do litro de biodiesel foi quase 45 centavos mais caro que o preço do óleo diesel para os distribuidores.
  • O governo está finalizando este ano uma Análise de Impacto Regulatório (AIR) no PNPB com a contratação de uma consultoria portuguesa especializada.
Veja aqui o resumo completo desta palestra.


Erasmo Battistella
  • Os investimentos da indústria somam R$ 4 bilhões, representaram mais de 86 mil empregos na cadeia e reduzem em 57% a emissão de poluentes.
Dizem que o biodiesel concorre com a produção de alimentos. Na realidade, ele aumenta a oferta [de farelo de soja].
  • Se o Brasil adotar o B20, o número de agricultores familiares incluídos no PNPB pode chegar a 530 mil.
Veja aqui o resumo completo desta palestra.


Jerônimo Goergen
  • Caso as negociações não avancem, o parlamentar diz que poderá pressionar o governo editando uma medida provisória. “Para que o governo se posicione sobre o que já pode decidir.”
  • Centralizar as discussões na Casa Civil foi um erro, pois não há como retomar pontos do debate em outras áreas.
Muito se falava nas mudanças necessárias no Selo Combustível Social, no modelo de leilões e especialmente na qualidade do combustível. Hoje esses três pontos que o governo cobrava para aumentar o teor já estão superados.
Veja aqui o resumo completo desta palestra.


Questão políticaErasmo Battistella
Se o governo demorar demais para definir uma política clara, os empresários podem optar por investir em outras áreas.
Pode até haver um desinvestimento no biodiesel.
  • Falta um agente único que centralize todas as ações do governo relacionadas à bioenergia.
Hoje, vários braços do governo tratam de biocombustível.
Jerônimo Goergen
São 13 ministérios lidando com essa matéria. Não há um ministério responsável que tenha competência sobre a área, talvez pudesse ser o MME ou até um novo ministério.
Não tem como os ministérios terem competência se tudo precisa passar pelo [Ministério da] Fazenda. Na prática, é a Fazenda que está comandando o governo brasileiro.
Rodrigo Rodrigues
Projeções oficiais do Ministério da Agricultura e da Conab sobre a expansão da soja indicam que não haveria oferta suficiente de matérias-primas para o setor com a adoção do B20.
Não é um debate novo, já tem um bom tempo, mas não é fácil montar um orgão como esse. Além disso, ele também teria que se relacionar com outros órgãos do governo. Todo mundo puxa o cobertor para o seu lado, seria uma luta muito maior.
Veja aqui o resumo completo deste debate.


José Berges
  • Pelas diretrizes europeias, o biodiesel de soja teria dificuldade para cumprir a meta de redução nas emissões de gases do efeito estufa.
  • Quem tiver interesse em acessar o mercado europeu terá que recorrer a certificações individuais que atestem que seu produto atinge o índice de redução exigido
Se a legislação for cumprida, a Europa vai ter que importar combustível, mas eu não apostaria meu dinheiro nisso.
Veja aqui o resumo completo desta palestra.


Luciano Cunha
A questão de fundo é: se a nossa cadeia de soja é tão forte, por que não conseguimos  exportar  biodiesel ?
Se a empresa compra soja e processa no mesmo estado, o custo é baixo. Se ela precisa deslocar soja de um estado para outro e então o óleo para um terceiro estado para fabricar biodiesel, ela praticamente mata o seu negócio.
Por que a logística seria um problema insuperável para o biodiesel quando a gente consegue exportar soja usando exatamente a mesma logística?
Veja aqui o resumo completo desta palestra.


Joaquim Guilhoto
  • Pesquisa mostrou que o peso do biodiesel na inflação de 2011 foi de apenas 0,037 ponto percentual, para um índice geral de 6,503%.
  • A pesquisa inédita foi patrocinada pela Aprobio, mas a entidade não interferiu nos resultados.
  • A carga tributária incidente sobre os combustíveis tem um peso inflacionário bem maior que o da mistura de biodiesel.
  • Marcelo CunhaSe no ano passado já tivéssemos ido para o B7, o PIB teria sido beneficiado em quase R$ 13,5 bilhões e 132,5 mil empregos teriam sido gerados.
Veja aqui o resumo completo desta palestra.


Silvio Rangel
  • Aumentar a mistura de biodiesel no interior do país poderia ajudar a reduzir a emissão de gases poluentes, o trânsito nas estradas, a degradação da infraestrutura e ainda dinamizar a economia local.
  • O potencial de produção de biodiesel no Mato Grosso seria suficiente para suprir perto de um quarto da demanda local por combustíveis.
Se o que o Brasil quer é um desenvolvimento regional forte, é preciso investir no uso dos recursos naturais que existem em cada local.
Veja aqui o resumo completo desta palestra.


Ampliando MercadoMarcelo Pereira
O preço do óleo de soja teria que ser a metade do que é hoje para que o impacto inflacionário do biodiesel fosse idêntico ao do diesel de petróleo.
Luciano Cunha
[Em relação à exportação] há pouco o que fazer pelo biodiesel no momento, uma vez que exportar óleo de soja é mais lucrativo.
Marcelo Pereira
Se o cenário incluir um aumento na demanda de farelo, os volumes adicionais de óleo podem ter um impacto negativo nos preços do óleo exportado.
Luciano Cunha
Não faz sentido o biodiesel valer menos no mercado de exportação do que o óleo vegetal.
Veja aqui o resumo completo deste debate.


Paulo Maia
O programa brasileiro não foi pensado de uma forma unidimensional. Na Europa a questão foi ambiental, na Argentina foi econômica. Aqui, ele foi feito para tudo isso e tem uma base de stakeholders muito grande.
  • O biodiesel é um mercado com grande potencial de crescimento.
O biodiesel deveria dar orgulho para os brasileiros. Foi algo muito bem pensado, não só pelo governo, mas também pelos  empresários.
Veja aqui o resumo completo desta palestra.


Eduardo Ieda
A Vale, maior consumidora individual de diesel do Brasil, deverá começar a usar o B20 a partir de 2017.
Há a possibilidade de chegarmos ao B100 com essas novas tecnologias que virão.
O nosso custo de produção de biodiesel vai ser muito melhor que o preço do biodiesel de soja. Não sei se vamos chegar no preço do diesel, mas é para isso que estamos trabalhando.
A agricultura familiar saiu “de um patamar de renda entre R$ 300 a R$ 400 por mês para R$ 2,7 mil, R$ 3 mil. Eles vão da classe E para a classe C.
Veja aqui o resumo completo desta palestra.


Alexandre Duarte
O enxofre impede o crescimento de micro-organismos. Com sua redução, o teor de água no biodiesel precisa ser mais rigidamente controlado.
À medida que novas matérias-primas forem entrando, a especificação pode ser alterada.



Veja aqui o resumo completo desta palestra.



André Machado
  • A qualidade da inclusão social pode ser mais importante do que o número de famílias incluídas.
O biodiesel é um dos maiores mercados da agricultura familiar que o MDA tem.
Cooperativas tem usado o biodiesel como trampolim para acessar outros programas do governo.
A [nova] portaria sozinha não faz inclusão social.
Veja aqui o resumo completo desta palestra.


Ricardo Dornelles
  • Nenhum país do mundo “poderia se dar ao luxo de não prestar atenção no Pré-sal”, e as questões relacionadas ao biodiesel “continuam caminhando” dentro do governo, que mantém uma equipe sempre renovada e continua se reunindo com regularidade para debater o assunto.
O custo inflacionário [do biodiesel] pode ser pequeno, mas é repartido por todos. Já os ganhos no PIB ficam praticamente todos com um setor da economia.
Os biocombustíveis introduzem no mercado de energia um risco agrícola que é muito complicado.
É impensável ter um bem energético que não tenha compromisso com o abastecimento. Este é um calcanhar de Aquiles do programa.
Veja aqui o resumo completo desta palestra.


Rubens Freitas
Não podemos passar a planilha [de cálculo do Preço Máximo de Referência].  Mas queremos discutir as variáveis que influenciam no preço para afinar o cálculo do  PMR.
As distribuidoras defendem o interesse delas. Os produtores defendem o interesse deles. E tem que ser assim mesmo, porque se eles não defenderem, quem é que vai defender? E qual é o papel da ANP? É fazer uma média ponderada? A ANP cuida do interesse do consumidor.
Veja aqui o resumo completo desta palestra.


Alisio Vaz
  • O fato de haver capacidade de produção por parte das usinas não significa que o Brasil esteja pronto para aderir ao B7 de imediato.
Hoje nós não temos tancagem suficiente para abrigar mais 40% de biodiesel”, afirmou, em referência à quantidade extra que precisaria entrar em circulação caso o Brasil deixasse o B5 para adotar o B7.
É preciso repensar a logística do país antes de dar novos passos. Até mesmo para que no açodamento para aumentar a mistura nós não acabemos prejudicando a própria imagem do produto.
Se o biodiesel interiorano “ fosse adotado no Mato Grosso, por exemplo. Logo ao lado, em Goiás, seria possível encontrar diesel por R$ 0,20 a menos. Será que o motorista aceitaria pagar a mais pelo produto?
Veja aqui o resumo completo desta palestra.


Comercialização BiodieselA pouca oferta no último leilão de biodiesel e a existência ou não de matéria-prima para o B20 dominaram este painel.

Erasmo Battistella
A baixa oferta [no leilão 27] teve como motivo o preço baixo e a aptidão de risco de cada empresa. Vai ter biodiesel para suprir a demanda, seja hoje com o B5 ou até para o B6 ou o B7.
Ricardo Dornelles
O governo não quer ficar com a corda no pescoço.” O caso é que uma oferta restrita pode criar oscilações de preço que transmitiriam ao consumidor final a ideia de descontrole sobre o programa do biodiesel. “Isso não é nada bom para o programa.
Alisio Vaz
A preocupação é muito mais prática do que para o Dornelles, que tem uma visão mais estrutural. Para a gente interessa se tem produto suficiente para o trimestre.
Erasmo Battistella
Já na próxima safra o Brasil deverá colher perto de 82 milhões de toneladas de soja, das quais quase 40 milhões de toneladas serão exportados in natura. Só essa soja poderia render 8 milhões de toneladas de óleo se ficasse no país.
Ricardo Dornelles
Não adianta a safra do ano que vem ser muito boa se daqui a duas ou três safras tivermos uma quebra catastrófica. Eu tenho que olhar o longo e médio prazos, e o B20 é um esforço muito grande. Não acho que essa seja uma boa bandeira.
Veja aqui o resumo completo deste debate.


Sandro Barreto
  • A expectativa da Petrobras é chegar em 2013 com um tempo médio de 75 dias entre os leilões e o fim das entregas, o que implicaria a realização de leilões bimestrais.
  • Sobre o fim dos leilões de estoque, Barreto adiantou a possibilidade de fazerem
um leilão de opções de compra para os volumes que julgarmos necessários para estoque regulador. As usinas colocariam sua capacidade extra de produção, tancagem e de expedição rodoviária à venda. Se a gente chegasse a exercer essa opção, pagaríamos o valor combinado e pronto; e se não chegássemos a efetivar a compra, pagaríamos um prêmio pelo contrato.
Veja aqui o resumo completo desta palestra.


Ricardo Menezes
  • O novo modelo de leilão respeita os fundamentos da livre concorrência. Todos têm acesso ao mesmo produtor.
  • O próximo passo agora é planejar uma redução no prazo do leilão, que permita um melhor
planejamento dos estoques. Temos a satisfação de ver que fomos ouvidos [na elaboração das mudanças].
Veja aqui o resumo completo desta palestra.


Ricardo Gullo
  • A venda do B5 e de outras misturas do biodiesel no diesel mineral não precisa ser encarada pelas distribuidoras apenas como um custo adicional. Também pode ser um diferencial de mercado.
  • Houve avanços no setor, mas ainda existem gargalos.
Temos a elevação de mais de 7% de consumo de diesel. Isso gera mais trabalho. Algumas bases estão operando com quatro tipos de diesel. Estão no limite.
Veja aqui o resumo completo desta palestra.


Adriano Pires
O álcool foi introduzido para resolver um problema na balança de pagamentos causado pela crise do petróleo. Aí o preço do petróleo caiu e esqueceram do álcool.
Há poucos anos a expressão corrente é que seríamos a Arábia Saudita Verde. Em 2008 veio a crise financeira causada pela falência do [banco norte-americano] Lehman Brothers e descobrimos o Pré-sal. Viramos o país do petróleo e deixamos os biocombustíveis um pouco de lado.
Veja aqui o resumo completo desta palestra.


José Aguilera
  • O governo substituiu o sonho de promover o uso de energia renováveis com o biodiesel pelo Pré-sal.
Desde então o biodiesel saiu da agenda do governo.
A gente tem que entender os fatores que levaram a Vale a fazer isso [investir em palma]. É por um motivo totalmente alheio à possibilidade da palma substituir a soja.
  • Ele lembrou que a maior produtora de palma de óleo do país há muito abandonou qualquer ambição no segmento de biodiesel, preferindo se concentrar em mercados mais rentáveis.
Veja aqui o resumo completo desta palestra.


João Manjabosco
O que vemos é um mercado verticalizado, com soluções que vão do produtor de matéria-prima ao distribuidor de combustível.
  • O sistema verticalizado exige maiores investimentos, tem custos fixos maiores e impõe maior dificuldade no relacionamento com os agricultores familiares.


Veja aqui o resumo completo desta palestra.


Biocombustíveis e consolidação
  • A falta de incentivos do governo para os biocombustíveis dominou este painel de discussão.
Ricardo Dornelles
Não é verdade que o governo tenha abandonado os biocombustíveis. Ele continua com um grupo dedicado e atuante dentro do governo, e os ministros responsáveis se reúnem com o setor com alguma frequência.
Adriano Pires
O Brasil não pode abrir mão de nenhuma fonte de energia porque temos muito demanda reprimida.
Ricardo Dornelles
Os empresários do setor de etanol sempre resistiram a um envolvimento mais ativo do governo. Só foram mudar de ideia quando entraram em crise.
O primeiro pipoco que eles ouviram, vieram bater na nossa porta.
José Carlos Aguilera
Falta um horizonte, mesmo que um novo aumento de mistura só aconteça daqui vários anos. Pelo menos teríamos um horizonte.
João Artur Manjabosco
Para as verticalizadas, faz todo o sentido entrar nesse mercado porque é só mais um produto no portfólio. Elas podem optar por fazer biodiesel ou vender óleo.
Veja aqui o resumo completo deste debate.


Adilson Liebsch
O diesel de cana não vem competir com o biodiesel. Pesquisas mostram que a mistura de diesel de cana e biodiesel funciona muito bem.
  • A primeira usina da Amyris já está concluída e tem capacidade de produzir 50 milhões de litros por ano. A produção iniciará em 2013 e uma segunda usina, com o dobro da capacidade da primeira, está com as obras 50% concluídas.
Veja aqui o resumo completo desta palestra.
 


Michael Rinelli
  • A companhia pretende produzir diesel renovável em 2013 a um custo de R$ 1,80 por litro.
Nossa bactéria tem apenas duas micra [equivalente à milésima parte de um milímetro] e consegue fazer tudo o que uma refinaria de petróleo precisa de milhares de metros quadrados para fazer.


Veja aqui o resumo completo desta palestra.

Tags: C2012