Eventos

Benefícios do biodiesel para o PIB brasileiro


BiodieselBR.com - 31 out 2012 - 15:56 - Última atualização em: 05 nov 2012 - 09:56
marcelo cunhaEntre as muitas informações novas sobre o setor de biodiesel que foram apresentadas durante a Conferência BiodieselBR 2012, uma das mais chamativas foram os resultados de um estudo sobre os impactos do setor de biodiesel na economia brasileira. O trabalho foi realizado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) a convite da Associação dos Produtores de Biodiesel do Brasil (Aprobio). Os dados foram apresentados pelos pesquisadores Joaquim Guilhoto, da Universidade de São Paulo (USP), e Marcelo Pereira da Cunha, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

A palestra “Impactos socioeconômicos da indústria de biodiesel no Brasil” fez parte do segundo painel apresentado durante o primeiro dia do evento. De acordo com os palestrantes, embora a pesquisa tenha sido patrocinada pela Aprobio, a entidade não interferiu nos resultados. A pesquisa procurou dimensionar o impacto que o biodiesel teve na economia nacional entre 2005 e 2011, tanto na inflação quanto no Produto Interno Bruto (PIB). Os palestrantes informaram que à medida que ocorre a inflação dos preços, diminui o consumo e, consequentemente, o PIB.

Os pesquisadores envolvidos criaram um modelo capaz de retratar as interações no interior da cadeia produtiva de forma a medir com precisão o peso de cada fator no processo de formação de preços no setor de biodiesel. “Montamos um sistema que permite verificar como os preços são formados e, dessa forma, ver quais foram os impactos”, explicou Guilhoto.

Levando em conta os números da inflação registrados durante o período observado, a modelagem isolou apenas o aumento de custos gerado pela mistura do biodiesel. Com isso, chegou-se a uma estimativa de como a economia teria se comportado caso o Brasil não tivesse misturado uma única gota do combustível renovável no óleo diesel mineral (considerando que o volume que hoje corresponde à mistura seria coberto com diesel fóssil importado).O resultado mostra um impacto relativamente pequeno na inflação.

O peso do biodiesel na inflação de 2011 foi de apenas 0,037 ponto percentual, para um índice geral de 6,503%. O modelo também permitiu calcular qual seria o impacto relativo do biodiesel caso o óleo diesel nacional seguisse cotações internacionais. A constatação é que, nesse caso, o impacto teria sido um pouco menor – 0,034 p.p., para uma inflação total de 8,263% em 2011.

Também se constatou que a carga tributária incidente sobre os combustíveis tem um peso inflacionário bem maior que o da mistura de biodiesel. Os impostos
representaram 0,804 p.p. na inflação do ano passado.

PIB

Considerando esse impacto inflacionário, a equipe calculou seu efeito negativo no desempenho no PIB. Os 0,037 p.p. registradosem 2011 custaram R$ 2,1 bilhões à economia brasileira. Mas essa é só metade da história. Nos cálculos da Fipe, a redução das importações de óleo diesel durante 2011 economizou ao país R$ 4,1 bilhões. 

Só isso já bastaria para deixar as contas do biodiesel no verde, mas, como Marcelo Pereira da Cunha ressaltou, é preciso olhar o que acontece em toda a cadeia antesde fechar a conta. Nesse caso, o fator mais relevante é o complexo soja. A produção de biodiesel reduziu as exportações brasileiras de óleo de soja (- R$ 736 milhões), mas por outro lado aumentou a produção nacional de farelo (+ R$ 5,9 bilhões).

Tudo somado, Cunha afirma que o biodiesel rendeu R$ 7,1 bilhões ao país em 2011. Considerando os dados desde 2008, os benefícios foram equivalentes a R$ 12,1 bilhões. As vantagens não param por aí. O Brasil também geroumais de 86 mil empregos novos por causa da indústria do biodiesel.

Prospecção

Com base nesses números, os pesquisadores estimaram o que aconteceria caso a mistura fosse aumentada, criando cenários para o B7, B10, e B20. Se no ano passado já tivéssemos ido para o B7, por exemplo, o PIB teria sido beneficiado em quase R$ 13,5 bilhões e 132,5 mil empregos teriam sido gerados. 

Mesmo que os investimentos feitos em biodiesel tivessem sido integralmente direcionados ao setor de produção e refino de óleo diesel, é possível que os resultados não fossem tão positivos. Cada real gasto em biodiesel gera 113% mais empregos e dá uma contribuição 35% maior para o PIB do que o diesel fóssil. Sem contar outros benefícios não financeiros, como a redução das emissões de gases do efeito estufa e outros poluentes atmosféricos.

Com base nesses números, ambos os pesquisadores afirmaram que a ampliação do uso de biodiesel na matriz energética brasileira tem potencial para gerar bons resultados para o país.

Fábio Rodrigues – BiodieselBR.com

banner revista_31
Tags: C2012