PUBLICIDADE
cremer cremer
Biodiesel

Conceito ambiental


BiodieselBR - 31 jul 2008 - 05:28 - Última atualização em: 09 nov 2011 - 19:06

Se você tem carro, pode não mais ter acesso ao interior do campus de Ondina, da Universidade Federal da Bahia (Ufba). O trajeto, antes percorrido pelos veículos, deverá ser feito a pé, de bicicleta ou biobus – ônibus especial movido ao biodiesel produzido na Escola Politécnica. A idéia pode provocar estranheza, mas a proposta da universidade é implantar o conceito ecológico até 2012. O projeto Ufba Ecológica prevê a recuperação e manutenção das áreas verdes, implantação de corredores de integração para facilitar a locomoção dentro do campus, além da utilização de métodos sustentáveis, a exemplo da captação da água da chuva e energia solar.

As adaptações estão em fase inicial. O primeiro prédio ecologicamente correto e sustentável está em construção. Ele fica atrás do PAF II e terá captação de água da chuva, destilador de energia solar e elevadores de contrapeso – quando um sobe, o outro desce. A proposta expande-se também para os campi do Canela, onde se concentrarão os cursos das ciências comerciais e medicina, e de São Lázaro, que terá uma ligação viária de acesso a Ondina.

As mudanças estão diretamente relacionadas à expansão da universidade, graças ao Reuni. Até 2012, serão construídas 59 novas edificações e intervenções físico-ambientais, além da chegada de 17 mil novos alunos. A verba destinada às reformas é de R$187 milhões, sendo R$86 milhões do Reuni e R$20 milhões de emendas parlamentares. O reitor da Ufba, Naomar Almeida, explica que a meta é crescer sem aumentar o consumo. “Como vamos dobrar a área construída, implementaremos o conceito de sustentabilidade. Vamos reduzir os gastos com energia e água, e aumentar a cobertura vegetal”, informa.

O campus de Ondina será o principal alvo das adaptações ecológicas. O projeto assemelha-se com um paisagismo, quase o mesmo utilizado em universidades americanas. Quando estiver dentro do campus, o aluno esquecerá que está no centro da cidade. “Vamos recuperar as encostas, criar praças de convivência no lugar dos estacionamentos em frente aos prédios. Vamos recuperar a tranqüilidade”, garante Naomar.

Os campi da Ufba foram projetados de maneira descentralizada, durante o período da ditadura militar. O conceito, segundo o reitor, está ultrapassado. Por isso, a intenção é integrar os cursos da mesma área. Alguns remanejamentos já estão confirmados. A Faculdade de Música vai para o campus de Ondina, onde será construída também uma sala de espetáculos. Já o Instituto Ciência da Informação (ICI) ficará próximo à Faculdade de Comunicação (Facom). “Teatro e Belas Artes não quiseram vir para Ondina, continuam no Canela. Mas o espaço deles estará reservado”, anuncia o reitor. 

Maíra Portela