Opiniões

Carlos Eggers


BiodieselBR.com - 02 jan 2014 - 12:41 - Última atualização em: 16 mai 2014 - 12:09
A Sustentabilidade e o Biodiesel no Brasil

Meio ambiente, desenvolvimento social e econômico. Estes são os pilares da sustentabilidade, por isso ela deve estar atrelada a todas as atividades do dia a dia das pessoas. No setor energético não é diferente, já que os combustíveis devem estar de acordo com as matrizes de sustentabilidade, adequando-se a todos os pilares.

Exemplo desta tendência é que em 2008, iniciou-se no Brasil a mistura obrigatória de 2% de biodiesel ao diesel (B2), uma iniciativa que evoluiu para o B5, em 2010. Em pouco tempo, o programa de biodiesel brasileiro foi estruturado com maestria pelo governo, produtores de biodiesel e fornecedores de matéria-prima.

Diversos fatores, em 2008, elevaram o Brasil à condição de quarto maior produtor de biodiesel no mundo (atrás apenas da Alemanha, dos EUA e da França):
  • condições climáticas favoráveis para produção altamente competitiva das matérias-primas do biodiesel;
  • 50% dos recursos renováveis formam a matriz energética brasileira.
  • 90 milhões de hectares aráveis disponíveis para ampliação da agricultura;
  • o amplo apoio das autoridades ao programa;
  • aposta dos produtores no programa nacional;
  • posição do Brasil como importador de diesel, que vai gradualmente sendo substituído pelo biodiesel;
 O Programa do Biodiesel brasileiro foi uma demonstração clara de como o governo e a iniciativa privada organizaram-se com competência e agilidade para implementar, de maneira sustentável, uma iniciativa que levou o Brasil, em pouco tempo, a ser um dos maiores produtores de Biodiesel do mundo.

No mesmo ano da crise global, o mercado interno de Biodiesel cresceu de forma consistente e duradoura. O desafio para os próximos anos será consolidar o que já foi conquistado e discutir novos projetos que insiram o consumo de Biodiesel no dia a dia do brasileiro e incrementem sua demanda, sempre pensando no processo sustentável de sua fabricação.
 
Carlos Eggers (diretor de Químicos Industriais) e Fabrício Soto (gerente de Marketing e Controlling de Químicos Industriais).