PUBLICIDADE
cremer cremer
017

Cartas do Leitor - edição 17


BiodieselBR.com - 29 jun 2007 - 07:22 - Última atualização em: 09 nov 2011 - 19:13


Transbordando glicerina

Tenho certeza que a queima da glicerina, que hoje é vendida a R$ 0,15 o quilo, poderá economizar muita madeira que é cortada clandestinamente nos cerrados sem nenhum controle pelos órgãos competentes. A queima a uma temperatura superior a 450ºC não oferece nenhum perigo, pois só formará dióxido de carbono e água.
Ely Zago
Professor de Quimica Tecnológica



Macaúba

O melhor óleo para se fazer biodiesel é o óleo mais barato. A única opção para suplantar o óleo de soja, com preços mais baratos, é o óleo advindo de culturas perenes. Além disto, a macaúba tem mais uma enorme vantagem: gera trabalho e renda para os agricultores familiares. Utopicamente, alguns tentam vender a idéia de que, para os pequenos, tudo tem que ser mecanizado também, o que é impossível. Nada mas óbvio e ululante a conclusão de que a macaúba é uma grande saída.
Telmo Heinen
Formosa - GO


Por que não aproveitar o potencial da palmeira inajá? Pelo que vi em sites da internet, estudos já foram feitos pela Embrapa em Roraima e pela UFPA no Pará. A nativa inajá produz um óleo muito semelhante à exótica palma, e mais, dá produtividade por hectare superior à palma. Então por que não se incentiva a compra dos frutos de inajá já existentes, promovendo o extrativismo, e não se esmaga junto com os coquinhos da palma? Seria mais uma fonte de renda para as populações que hoje sobrevivem com o extrativismo do açaí, já que o inajá está presente em grande abundância nos mesmos espaços das palmeiras de açaí, na ilha de Marajó e em todo nordeste do Pará.
José David de Menezes
Florianópolis – SC



Selo Combustível Social

Já era sem tempo [a perda do Selo Combustível Social de três usinas], pois na verdade nunca houve selo, tudo foi maquiado, não muito diferente da outras detentoras do selo.
Moises Gomes de Oliveira
Engenheiro agrônomo e consultor de agronegócio e agroenergia
Juazeiro - BA



Óleo vegetal


Há aproximadamente quatro anos, usei, e muito, o óleo vegetal refinado em um trator Valmet, ano 92, sem adaptação nenhuma. Comecei usando 10%, passei para 25%, depois para 50% e cheguei aos 100%. Com todas essas misturas ele funcionou muito bem. O único problema que tive foi no inverno. Esse teste foi feito no Paraná, onde para ligar o trator de manhã cedo com 100% demorava um pouco, assim como os antigos carros a álcool. Tornei a usar os 50% e ele voltou a funcionar muito bem, mesmo no inverno. Tomara que agora as pessoas abram os olhos e deixem de duvidar de uma solução simples, prática e viável.
Romero Albuquerque