012

Editorial: Amadurecimento e Consolidação


BiodieselBR.com - 20 ago 2007 - 12:41 - Última atualização em: 16 mar 2012 - 14:14

Com a proximidade do início da obrigatoriedade do B5, o biodiesel no Brasil dá sinais de amadurecimento e consolidação. Muitas unidades produtivas planejaram chegar bem posicionadas no mercado com a entrada desse percentual de mistura, e agora começa a ficar mais claro quais serão as usinas com potencial para manter sua participação e ampliar a presença. Para a segunda fase do programa de biodiesel, a tendência é que a comercialização se concentre em não mais que 10 a 15 empresas, e os sinais que reforçam essa tendência podem ser encontrados em diversas áreas.

No parque industrial temos as ampliações das usinas estabelecidas e o gradativo incremento na capacidade média das unidades produtoras; na área econômica, as aquisições e intenções de compra de players do mercado; no governo a alteração dos lances do leilão de três para duas ofertas sinaliza o interesse em aumentar a competitividade, favorecendo as usinas mais competitivas. E ainda temos para o médio prazo o provável fim dos leilões.

Mas essa evolução será gradativa e o mercado dos pequenos produtores pode encontrar alternativas, como já vem acontecendo através da produção para consumo próprio, a parceria com agricultores da região, as iniciativas das cooperativas e a venda para distribuidoras próximas às usinas.

Mantendo-se as perspectivas, essa consolidação levará algum tempo para se concretizar, e ao longo desse desenvolvimento do programa os erros precisam ser corrigidos. Como apresentado na reportagem da página 28, a ANP precisa aprimorar sua comunicação para evitar falhas na hora de prestar informações sobre o mercado que é responsável em regular.

A agência realiza atividades para promover o debate com a sociedade, mas parece não ser consenso entre os seus funcionários que as informações devem ser transmitidas com cuidado e presteza. Para o mercado ser melhor regulado, as regras definidas pela ANP precisam ser bem explicadas – e a desinformação, por vezes promovida pela agência, dificulta este processo.

Julio Cesar Simczak Vedana
Diretor de Redação