006

Biodiesel em Portugal: Pesquisa e desenvolvimento


BiodieselBR - 06 nov 2007 - 15:14 - Última atualização em: 23 jan 2012 - 11:24

Segundo a professora Mata, a saída para a crise do biodiesel em Portugal já está sendo criada nas unidades de Pesquisa e Desenvolvimento portuguesas dedicadas à investigação do biodiesel. “As pesquisas em curso têm procurado estudar matérias-primas alternativas para a produção do biodiesel”, afirma. “Em especial, matériasprimas que estejam fora da cadeia alimentar, para não contribuírem para a crise dos alimentos”, completa.

O próprio Lepae é responsável por desenvolver novas matériasprimas para o biodiesel a partir de óleos vegetais usados, gorduras animais (peixes, bovinos e suínos) e microalgas, além de já estudar novos catalisadores. O laboratório também analisa a qualidade do biodiesel de acordo com a norma padrão da Europa.

Segundo a pesquisadora, as pesquisas têm também procurado otimizar os processos produtivos e as tecnologias convencionais de produção, com o objetivo de torná-los mais eficientes e reduzir os custos. “Pretende-se tornar o biodiesel competitivo em relação aos combustíveis fósseis”, explica Mata.

Segundo a equipe de pesquisadores do Lepae, em teoria qualquer tipo de veículo a diesel também pode funcionar com o biodiesel. No entanto, até o momento, das indústrias automotivas que têm veículos de passeio à venda em Portugal, apenas as francesas Peugeot e Citröen garantem a utilização eficiente de até 30% de biodiesel na mistura. A maior parte das marcas só permite até 5% de biodiesel na mistura com o diesel, de acordo com a equipe de especialistas portugueses. Embora seja difícil afirmar com segurança que porcentagem do mercado de combustíveis é ocupada pelo biodiesel, a cifra deve rondar os 2%, segundo a pesquisadora Mata.