006

Entrevista com Henry Joseph Jr.: Carros de passeio a biodiesel


BiodieselBR - 06 nov 2007 - 14:42 - Última atualização em: 23 jan 2012 - 11:28

Revista BiodieselBR Que problemas podem ocorrer com o uso de biodiesel puro?

Henry Joseph Junior É difícil apontar os problemas que podem ocorrer porque não temos feito testes com B100, já que o combustível não tem apresentado uma qualidade próxima do óleo diesel puro. Sabemos que o biodiesel tem algumas características bastante agressivas, que favorecem a formação de depósitos e podem criar problemas funcionais para o veículo.

Revista BiodieselBR
A legislação brasileira não permite carros de passeio com motor a diesel. Com a consolidação do biodiesel, podemos ter carros de passeio rodando com esse combustível?

Henry Joseph Junior Esse é um pleito antigo da indústria automobilística, que entende que o consumidor brasileiro deveria também ter a chance de poder optar por comprar veículos de passageiro a diesel. Seria mais uma gama de modelos que poderiam estar presentes no mercado brasileiro. Por outro lado, sempre respeitamos o posicionamento do governo. A questão do diesel no Brasil é delicada. Este combustível tem um caráter social porque é o responsável por praticamente todo o transporte de carga e passageiros do país. Acredito que isso possa vir a mudar. Esse cenário pode se alterar tanto em função da entrada do biodiesel no país, que permitiria uma disponibilidade maior desse combustível, como também pelas novas refinarias que estão sendo implementadas. Há também a questão da venda de diesel com qualidade diferenciada para veículos de passageiro. Como no caso da Petrobras com o Diesel Podium, que foi lançado em alguns postos do país para atender principalmente utilitários leves, picapes. Ou seja, veículos urbanos. É um cliente que acaba remunerando melhor esse diesel. Isso poderia mudar o panorama do setor e permitir que se voltasse a discutir a autorização para fabricar veículos de passageiro a diesel no país.

Revista BiodieselBR A Alemanha tem uma experiência com óleo vegetal natural (OVN – o óleo bruto antes de virar biodiesel) direto nos motores. Existe a possibilidade de motores assim chegarem ao Brasil?

Henry Joseph Junior Essa experiência alemã foi feita com uma motorização específica, um motor projetado para conseguir realmente trabalhar com combustíveis bastante diferentes. Esse ensaio, até onde sei, não teve resultados muito promissores. O que ficou muito claro é que o uso do óleo vegetal in natura, sem a transesterificação e a transformação em biodiesel, é bastante problemático. Ocorre que a glicerina contida no óleo in natura, e que o processo de transesterificação remove, acaba formando um depósito após a combustão do óleo, uma borra no motor, comprometendo principalmente o funcionamento do conjunto de alimentação. O uso de óleo in natura não é recomendado para veículos motores convencionais. E mesmo em motores que foram projetados para isso ou foram preparados para isso, os resultados não foram muito bons. Quando se começou esta história de biodiesel no Brasil, alguns produtores tentaram usar o óleo in natura em veículos diesel por conta própria. Eles mesmos adicionaram o óleo ao diesel ou tentaram fazer movimentar o veículo somente com o óleo in natura. E os resultados foram catastróficos. Porque, num primeiro momento, o veículo realmente funciona. Mas após algumas horas de utilização, o veículo já começa a formar depósito e a entupir tudo. Por isso não é recomendável. E acho que, aqui no Brasil, não veremos motores específicos para isso no futuro.