006

Entrevista com Henry Joseph Jr., presidente da Comissão de Energia e Meio Ambiente da Anfavea


BiodieselBR - 06 nov 2007 - 14:10 - Última atualização em: 23 jan 2012 - 11:28

Em busca do biodiesel perfeito


O impacto do uso do biodiesel nos motores é o tema desta conversa com o engenheiro químico Henry Joseph Júnior, presidente da Comissão de Energia e Meio Ambiente da Anfavea

Por Rosiane Correia de Freitas, de Curitiba


A implantação do uso do biodiesel no Brasil afeta diretamente a indústria automobilística do país. É no motor que, no fim das contas, será determinado se o biocombustível é realmente viável, afinal é lá que ele irá enfrentar, de igual para igual, o diesel comum. Entre os desafios do setor nessa batalha está a produção de um combustível com matéria-prima vegetal e animal que tenha a mesma qualidade do óleo diesel, para que os motores desenvolvidos para rodar com combustíveis à base de petróleo passem incólumes pela introdução desta nova energia.

Essa é a principal preocupação do engenheiro químico Henry Joseph Júnior, presidente da Comissão de Energia e Meio Ambiente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) e gerente do Laboratório de Motores e Emissões da Volkswagen, em relação ao Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel.

Em entrevista à revista BiodieselBR, Joseph falou sobre as principais dúvidas da indústria automobilística em relação ao biodiesel brasileiro. E adianta: o Brasil terá que produzir mais e melhor antes de pensar em aumentar o teor de biodiesel no diesel. Confira: