Informações

Atualização: Petrobras mantêm investimentos em biodiesel para os próximos quatro anos


BiodieselBR.com - 29 jun 2012 - 11:30 - Última atualização em: 29 jun 2012 - 19:07
Petrobras divulga plano estratégico 2020
Atualização 29/06 – 19h: A Assessoria de Impressa da Petrobras entrou em contato com a BiodieselBR para esclarecer o novo Plano de Negócios. De acordo com a estatal, apesar da apresentação do novo plano de negócios separar os investimentos agrícolas do segmento biodiesel, estes investimentos agrícolas serão destinados exclusivamente a produção de biodiesel (veja imagens dos slides abaixo).

O plano de negócios anterior, de 2011 a 2015, previa investimentos em biocombustíveis no valor de U$ 4,1 bilhões e considerava investimentos em etanol (U$ 1,9 bi), biodiesel (U$ 0,6 bi), logística para etanol (U$ 1,3 bi) e pesquisa e desenvolvimento (U$ 0,3 bi). Já no novo plano, de 2012 a 2016, foi deixado de considerar como investimentos em biocombustíveis a logística para etanol e a pesquisa e desenvolvimento. Com isso os valores do plano anterior e do atual permanecem iguais.

Já nos investimentos específicos em biodiesel, no plano anterior os investimentos eram de U$ 0,6 bilhão. Para chegar ao valor no novo plano é preciso somar os valores alocados em biodiesel (U$ 0,28 bi), suprimento agrícola (U$ 0,41 bi) e corporativo (U$ 0,01 bi), que no plano anterior estavam todos agrupados em biodiesel.

Dessa forma, segundo a assessoria, a Petrobras praticamente não altera os seus investimentos em biodiesel.  O título desta notícia foi corrigido para refletir essa informação, assim como o texto abaixo.

 
O recém-lançado plano de negócios 2012-2016 da Petrobras manteve as metas de produção para a Petrobras Biocombustível (PBio), mas o segmento perdeu espaço nos investimentos.

A presidente da companhia, Maria das Graças Foster, anunciou os novos valores no início da semana, durante a apresentação oficial do planejamento.

Com jeito de cobrança direcionada à direção da PBio, Foster disse que manterá “a meta de produção e de market share [da Pbio], mas tem de haver projeto. [...] Aquela história de aparecer com um projeto, que é um título, e que aquele título é de US$ 500 milhões, isso não pode (acontecer)".

O PN 2012-216 prevê investimentos de US$ 236,5 bilhões nos próximos quatro anos, aumento substancial em relação à edição do ano passado que antecipava gastos de US$ 224,7 bilhões.

Biodiesel
Apesar da apresentação do novo plano de negócios separar os investimentos agrícolas do segmento biodiesel, a Petrobras Biocombustível informou que estes investimentos agrícolas serão destinados exclusivamente a produção de biodiesel (veja imagens abaixo). Dessa maneira os investimentos da estatal no setor se mantêm em US$ 600 milhões para os próximos quatro anos. Com parte desses recursos será instalada uma usina de biodiesel no Pará e outra em Portugal, resultado de uma parceria com a Galp. Ambas deverão processar óleo de palma cultivado pela PBio na Região Norte.

Etanol
A maior parcela dos investimentos que a Petrobras fará em biocombustíveis irá para o etanol. A área terá US$ 1,84 bilhão para gastar pelos próximos quatro anos, orçamento muito semelhante ao plano anterior que previa US$ 1,9 bilhão. Além das metas na ampliação da capacidade produtiva, também está prevista a instalação de uma usina com tecnologia para a produção de etanol de 2ª geração.

PN anterior
Na comparação com o PN 2011-2015 – apresentado ainda sob a gestão de José Sergio Gabrielli –, a PBio havia traçado para si mesmo um conjunto de metas ambiciosas para um período de quatro anos. No mercado de etanol, a empresa afirmava que sua produção aumentaria de 1,5 para 5,6 bilhões de litros e sua participação no mercado iria de 5,3% para 12%.

Já no setor de biodiesel, as metas eram mais modestas, com a oferta do produto subindo de 735 para 855 milhões de litros e uma queda moderada no market share da companhia, de 28% para 26%.

Slides de apresentação do plano atual:

petro-plano2020a
petro-plano2020b
petro-plano2020c

Slide de apresentação do plano anterior:

petro-plano2020d

Fábio Rodrigues - BiodieselBR.com
Tags: Petrobras