Informações

Grupo chinês não possui planos para usina de biodiesel no Brasil


BiodieselBR.com - 20 jan 2012 - 07:59 - Última atualização em: 27 fev 2012 - 00:37

Há algum tempo andou circulando a informação de que o grupo empresarial de origem chinesa Chongqing Grain Group estaria às vésperas de entrar no mercado brasileiro de biodiesel através da Universo Verde, unidade de processamento de soja que a companhia chinesa está construindo na Bahia. Uma nota divulgada pela assessoria de comunicação da Secretaria da Agricultura, Irrigação e Reforma Agrária do Estado da Bahia (Seagri) – a responsável pela costura do acordo com os chineses –, inclusive, já dava conta que a futura usina teria capacidade para fabricar 100 mil toneladas de biodiesel. Pelo jeito, não é bem assim.

Contatados por BiodieselBR, representantes do grupo chinês confirmam que andam pesquisando sobre o mercado brasileiro de biodiesel mas que ainda não há nada definido a esse respeito.

O superintendente de atração de investimentos da Seagri, Jairo Vaz, informa que confirma que o projeto da planta que o Grupo Chongquing está construindo no município de Barreiras (BA) não inclui uma unidade de produção de biodiesel. “Ela vai produzir óleo, farelo e lecitina de soja”, diz. Ele acrescentou que o foco de atuação principal será o mercado alimentício.

Apesar de pouco conhecido aqui no Brasil, o Chongqing Grain Group é uma força a ser respeitada. Com faturamento na casa dos R$ 2,5 bilhões por ano e cerca de 20 mil funcionários, a estatal de origem chinesa, que atua no mercado de commodities agrícolas, está para fincar sua bandeira na Bahia. Eles pretendem instalar um complexo de processamento de soja no município de Barreiras (BA) com capacidade para esmagar cerca de 1,5 milhão de toneladas por ano - o volume é praticamente metade da produção baiana da oleaginosa estimada pela Conab.

Segundo Vaz que está fazendo a ponte entre o governo do Estado e o grupo chinês, as obras deveriam ter começado em 20 de dezembro passado mas foram postergadas por causa da demora no licenciamento ambiental do projeto. Com o atraso, a construção deverá começar em março.

As tratativas para que a estatal chinesa investisse no Brasil foram iniciadas em março de 2010 quando o governo da Bahia realizou uma missão à China. Ao todo o grupo vai investir R$ 4 bilhões no estado nordestino em capacidade produtiva e desenvolvimento de infraestrutura logística para o escoamento da produção. Deverão ser gerados cerca de 300 empregos diretos e mil indiretos.

Fábio Rodrigues - BiodieselBR.com