Política

FrenteBio tem audiência com a ministra do Meio Ambiente


BiodieselBR.com - 17 jun 2015 - 09:29
FrenteIzabellaTeixeira 170615
Integrantes da Frente Parlamentar Mista do Biodiesel (FrenteBio) e representantes do segmento industrial se reuniram nesta terça-feira (16) com a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira. Foi o primeiro encontro desde a posse da nova diretoria da FrenteBio, agora presidida pelo deputado Evandro Gussi (PV-SP).

Logo no início do encontro, os parlamentares presentes relataram à ministra a necessidade de seguir avançando no aumento da mistura, hoje fixada em 7%. A cadeia produtiva voltou a cobrar a elaboração de um novo marco regulatório, que traga a previsibilidade necessária para que o setor produtivo possa seguir investindo no aumento da produção.

A ministra do Meio Ambiente sugeriu à cadeia produtiva que trabalhe no sentido de discutir o aumento da mistura no âmbito das Contribuição Nacionalmente Determinada Pretendida (INDC), que representa a meta que o Brasil deve apresentar às Nações Unidas para cumprir o novo acordo do clima, a ser assinado em dezembro em Paris. “Há uma oportunidade aqui sinalizada pela FrenteBio de sermos mais ambiciosos no uso do biodiesel na nossa matriz energética, com especial atenção para a questão do transporte urbano. Também ver isso sob os olhos do combate à poluição, particularmente nas grandes cidades brasileiras, e o papel dos biocombustíveis na redução de emissões associadas ao transporte”, destacou a ministra, que também citou a possibilidade de aplicação do bioquerosene na aviação civil.

A ministra Izabella Teixeira orientou o setor a elaborar um estudo técnico sobre o incremento do uso do biodiesel e sua importância para o processo de “descarbonização” da economia. “A sugestão é que o setor apresente seus números e estratégias, fazendo a discussão com os ministérios de Minas e Energia, Agricultura e Desenvolvimento Agrário, por conta do forte apelo da agricultura familiar na produção do biodiesel”, explicou a ministra. O Brasil deve apresentar até outubro sua proposta para o acordo do clima.

Vice-presidente da FrenteBio, o deputado Jerônimo Goergen (PP-RS) destacou que o debate mundial sobre a redução das emissões de carbono abrem para o Brasil excelentes perspectivas de avançar em tecnologias limpas na geração de energia. “Até agora nós não vimos o governo falar do biodiesel como opção. Então nós estamos aproveitando esse ambiente para começarmos as tratativas de inclusão disso como prioridade. E não é só o aumento para B8, B9, B10. Nós queremos um marco regulatório. O setor de biocombustíveis precisa saber qual o seu futuro no Brasil. Nós precisamos ter segurança jurídica para que os investidores saibam os passos que devem dar”, detalhou.

A FrenteBio deve voltar a se reunir nos próximos dias para detalhar o plano de ação voltado à sua participação nas metas do clima.