Leilões de biodiesel

Leilão tem menor volume adquirido desde o B5


BiodieselBR.com - 08 dez 2016 - 19:46

Foi até que rápido para os padrões normais, às 19h17 o leiloeiro bateu o martelo encerrando o primeiro dia de aquisições do 52ª Leilão de Biodiesel. Ao todo, foram adquiridos 482,09 milhões de litros que serão utilizados para abastecer o mercado de mistura obrigatória durante o primeiro bimestre de 2017.

Já foram comercializados 62,9% dos 765,9 milhões de litros que as usinas concorrentes colocaram no mercado durante a Etapa 2 do processo que aconteceu nessa última terça-feira (06). Com isso apenas 5 usinas terminaram o dia de hoje com suas ofertas completamente esgotadas.

Com isso, o teto de aquisições para a Etapa 5 do processo passa a ser de 120,5 milhões de litros. A expectativa dos analistas de BiodieselBR.com, no entanto, é que as aquisições amanhã fiquem por volta dos 70 milhões de litros o que colocaria esse certamente na faixa dos 550 milhões de litros.

Devem sobrar mais de 200 milhões de litros de biodiesel para abastecer eventuais demandas da mistura autorizativa e atender ao leilão de estoque marcado para a semana que vem.

Demanda Baixa

Essa foi a primeira vez que um leilão registrou uma demanda abaixo de 500 mil m³ depois da chegada do B6, em julho de 2014. A demanda é tão baixa que se as distribuidoras fossem comprar biodiesel para atender o B10, as usinas conseguiriam atender com o volume ofertado.

Para atender o B10, levando em conta essa demanda de B7, seriam necessários 689 milhões de litros. As usinas ofertaram 765 milhões.

A causa para a pequena demanda é a queda no consumo de diesel causada pela crise que vive o país. Na comparação com o leilão para o mesmo período dos anos anteriores, este é o terceiro seguido com queda no volume de biodiesel comprado.

Faturamento

Ao preço médio de R$ 2.862,37 por cada metro cúbico de biodiesel vendido – abaixo dos R$ 2.880,67 apurado no encerramento da Etapa 3 do leilão passado. O leilão já movimentou R$ 1,38 bilhão.

O valor mais baixo vem na contramão dos preços máximos de referência estabelecidos pela ANP, que são os mais elevados já definidos pela ANP [veja gráfico].


Esse foi o primeiro leilão depois que a mudança que descolocou a Etapa 4. Até hoje, essa fase do processo acontecia imediatamente após o encerramento da Etapa 3 – costumando entrar madrugada adentro. Agora, ela acontecerá na manhã seguinte, pouco antes da abertura da Etapa 5.

Essa medida encurtou em uma hora primeiro dia de negociações com as distribuidoras.

Veja aqui o resultado completo dessa primeira etapa e saiba como foi a cobertura ao vivo desde segundo dia.

Fábio Rodrigues – BiodieselBR.com

Tags: L52 Etapa 3