Soja

Soja: indústrias do RS chegaram ao ponto exaustão por alta nos preços


Agrolink - 24 set 2020 - 10:36

De acordo com a T&F Consultoria Agroeconômica, as indústrias da soja no Rio Grande do Sul parecem ter chegado à exaustão, isto é, no pico que podem oferecer pela soja, versus os preços do farelo e do óleo neste momento. “Mesmo com aumentos frequente (e talvez por isso) os agricultores relutam em vender, porque estão capitalizados e podem esperar preços cada vez melhores. Os preços da pedra nas empresas gaúchas estão ao redor de R$ 136,00/saca”, comenta.

“Em Canoas as indústrias reduziram R$ 1,50/saca para R$ 144,50 para pagamento em 26/10; em Ijuí o preço aumentou R$ 3,50 reais/saca para R$ 146,00; em Cruz Alta também o preço subiu 2,50 reais/saca para R$ 145,50 e subiu um real/saca para R$ 150,00 em Passo Fundo, todos para entrega em novembro, porque as indústrias se queixam de que está difícil repassar estes preços elevadíssimos da soja para o farelo”, completa.

No Paraná, o mercado de lotes está com 2 reais de alta na média. “No mercado de lotes, para entrega em setembro o preço subiu mais 2 reais/saca para R$ 147,00/saca, em Ponta Grossa, pagamento meados de outubro. No interior dos Campos Gerais o preço também subiu 2 reais/saca para R$ 145,00, retirada outubro, pagamento em novembro. Em Paranaguá a cotação do mercado disponível subiu 2 reais/saca para R$ 147,00, entrega setembro, pagamento final de outubro”, informa.

“Para safra nova no porto entrega abril com pagamento 30/04/21 R$ 121,50 (121,00 anterior); entrega maio com pagamento 30/05/21 R$ 120,60 (121,60); entrega Junho com pagamento 30/06/21 R$ 122,50 (122,20); entrega Julho com pagamento 30/07/21 R$ 123,70 (123,40). Para a safra 2021, o preço subiu mais 1 real/saca para R$ 126,00/saca, em Ponta Grossa, entrega e pagamento abril/abril”, conclui.