Soja

Soja: clima nos EUA preocupa e preços em Chicago sobem 1,89%


BiodieselBR.com - 27 abr 2021 - 10:54

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a segunda-feira, 26, com preços em alta. O receio com as baixas temperaturas e o atraso no plantio nos Estados Unidos fizeram o mercado enfileirar a décima sessão seguida de ganhos, com os preços nos melhores patamares em quase oito anos.

Os contratos da soja em grão com entrega em maio fecharam com alta de 29,25 centavos de dólar por libra-peso ou 1,89% a US$ 15,69 por bushel. A posição julho teve cotação de US$ 15,39 por bushel, com ganho de 23,25 centavos ou 1,53%.

Nos subprodutos, a posição julho do farelo avançou US$ 5,70 ou 1,33% a US$ 431,50 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em julho fecharam a 60,89 centavos de dólar, ganho de 2,11 centavos ou 3,58%.

Além do clima adverso nos EUA, a possibilidade do governo argentino retomar as retenções sobre as exportações de soja em grão contribuíram para a elevação, em meio a um cenário fundamental positivo.

Pela manhã, os exportadores privados americanas anunciaram a venda de 120 mil toneladas de soja em grão para destinos não revelados. A entrega está programada para a temporada 2021/22.

O mercado aguarda ainda a divulgação dos números sobre a evolução do plantio nos Estados Unidos pelo USDA, às 17hs. O mercado espera por índice de semeadura de 8%, contra 3% na semana anterior.

Soja no mercado físico

Os preços da soja oscilaram entre estáveis e mais altos nesta segunda nas principais praças de comercialização do país. A movimentação melhorou, mas ainda é moderada, envolvendo cerca de 100 mil toneladas.

As cotações acompanham a disparada dos contratos futuros em Chicago. Os negócios, no entanto, ainda são limitados pela baixa do dólar.

Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos ficou em R$ 179. Na região das Missões, a cotação seguiu em R$ 178. No porto de Rio Grande, o preço permaneceu em R$ 184.

Em Cascavel, no Paraná, o preço subiu de R$ 176,50 para R$ 179 a saca. No porto de Paranaguá (PR), a saca avançou de R$ 183 para R$ 184,50.

Em Rondonópolis (MT), a saca passou de R$ 172 para R$ 174. Em Dourados (MS), a cotação subiu de R$ 165 para R$ 167. Em Rio Verde (GO), a saca permaneceu em R$ 165.

Dólar

O dólar comercial encerrou a sessão com baixa de 0,90%, sendo negociado a R$ 5,4490 para venda e a R$ 5,4470 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 5,4390 e a máxima de R$ 5,4900.