Soja

Indústrias agora veem queda de 25% no valor das exportações de soja


Valor Econômico - 29 jan 2019 - 08:49

Com ventos menos favoráveis, o Brasil deverá embolsar, em 2019, menos divisas com as exportações de soja em grão, que é o carro-chefe do agronegócio nacional. Segundo novas estimativas divulgadas pela Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove), a receita com os embarques da matéria-prima deverá alcançar US$ 26,6 bilhões este ano, US$ 1,5 bilhão a menos que o previsto em dezembro e valor 25,2% menor que o de 2018.

Considerando também as vendas externas de farelo e óleo de soja, a Abiove projeta que o Brasil poderá obter US$ 32,75 bilhões com todo o “complexo soja”, redução de 4,1% em relação ao cenário traçado em dezembro. Na comparação com o valor estimado para 2018, a queda é de 20,2%.

Em volume, estima a associação, as exportações de soja deverão chegar a 70,1 milhões de toneladas em 2019, 3,8 milhões a menos que a estimativa anterior e volume 13,7 milhões de toneladas inferior ao recorde do ano passado. A previsão da Abiove é mais pessimista que a da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), que neste mês projetou 75 milhões de toneladas. Segundo a entidade, as vendas de farelo de soja devem chegar a 16,2 milhões de toneladas, alta de 0,6% ante 2018. E as de óleo de soja devem atingir 400 toneladas, queda de 71,9% na comparação anual.

Daniel Furlan Amaral, gerente de economia da Abiove, explica que a redução estimada é consequência da menor produção estimada nesta safra 2018/19, devido à piora nas condições climáticas, e da expectativa de que a guerra comercial entre China e Estados Unidos arrefeça, de forma que o gigante asiático retome o ritmo normal de compra do grão americano. “E os estoques iniciais estão baixos no Brasil também”, avalia. A Abiove estima estoques iniciais em 778 toneladas em 2018/19, redução de 34,7% ante a estimativa anterior.

Outro ponto que deverá pesar negativamente sobre as vendas externas é que as exportações da Argentina deverão ser retomadas com a recuperação da produção no país.

No Brasil, a produção estimada pela Abiove é de 117,9 milhões de toneladas do grão, 2,5% a menos que o previsto no mês passado e 2,8% abaixo do recorde de 2017/18.

Nesse caso, a Abiove está mais otimista que a Associação dos Produtores de Soja e Milho do Brasil (Aprosoja). A entidade estima perdas de até 15 milhões de toneladas no ciclo 2018/19, para 105 milhões de toneladas. O volume é 12,5% menor que a expectativa inicial de 120 milhões de toneladas para a safra corrente. A revisão considera a seca e o clima quente em grandes regiões produtoras do Mato Grosso e do Paraná e o excesso de chuvas no Rio Grande do Sul.

Kauanna Navarro – Valor Econômico