Soja

China considera abrir portas para o farelo de soja do Brasil


Bloomberg - 25 set 2019 - 11:01

A China está considerando permitir importações do farelo de soja brasileiro, já que procura diversificar os fornecedores de um ingrediente chave para a alimentação de suínos, segundo pessoas familiarizadas com o assunto.

As autoridades chinesas visitaram recentemente as esmagadoras no Brasil como parte de uma viagem organizada pela Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove), disseram as pessoas, que pediram para não serem identificadas porque as negociações são privadas e estão nos estágios iniciais. Ninguém respondeu a um fax enviado à alfândega chinesa em busca de comentários. A Abiove não quis comentar.

As inspeções haviam sido acertadas em maio passado em reunião entre ministra da agricultura, Tereza Cristina, e autoridades chinesas ocorrida como parte de uma missão a países asiáticos.

As tratativas para a abertura do mercado chinês ao farelo de soja brasileiro haviam sido iniciadas em novembro de 2018.

Abrir a porta para o Brasil seguiria um arranjo semelhante feito com a Argentina no início deste mês. A China tem uma grande capacidade de esmagamento e geralmente prefere importar a soja e processá-la internamente. Mas, em meio à guerra comercial com os EUA, Pequim quer manter suas opções em aberto para fornecedores alternativos.

A medida também pode ajudar as relações bilaterais antes da visita do presidente Xi Jinping ao Brasil em novembro para a cúpula dos BRICS e chega em um momento em que a China está expandindo sua presença na América Latina.

Também pode ajudar a China nas negociações comerciais com os EUA, mostrando que o país pode obter a soja e seus derivados em outras localidades.

Com adaptações BiodieselBR.com