Matérias-primas alternativas

Simpósio discute gergelim para alimentação e biodiesel


Embrapa Agroenergia - 19 jul 2012 - 09:12 - Última atualização em: 29 nov -1 - 20:53
Elena-Manzzani-INIA-Venezuela190712

Com alto valor nutricional e alta estabilidade química o gergelim (Sesamum indicum L.), também chamado sésamo, foi sugerido como mais uma oleaginosa possível de ser utilizada na produção de biodiesel.

A cultura foi apresentada por representantes da Embrapa, Inia/Venezuela e da SésamoReal durante o II Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, que acontece em paralelo ao V Congresso Nacional de Mamona e o I Fórum Capixaba de Pinhão-manso que está ocorrendo em Guarapari/ES,

Nesta quarta-feira (18/7), a pesquisadora Elena Mazzani, do INIA - Centro Nacional de Pesquisa Agropecuária -, disse que, atualmente, o programa de fitomelhoramento é um marco de plano nacional de sementes, com as culturas do gergelim e mamona.

O INIA tem um banco de germoplasma com 1.115 acessos. “Estamos trabalhando com 19 linhagens para o uso na panificação e confeitaria com altos rendimentos. Destes, sete já estão em ensaios regionais”, explicou Mazzani..

Na Venezuela, o gergelim é utilizado especificamente para alimentação. Em 1980, o País tinha uma área de 149 mil há plantados e era o maior produtor de gergelim da América do Sul. “Hoje, o gergelim perdeu mercado tem apenas 40 mil ha plantados, devido à falta de incentivos, baixo rendimento, esclarece a pesquisadora. O programa está trabalhando no aumento do rendimento das variedades, e também, o INIA Portuguesas desenvolve ações com melhoramento agronômico, manejo e conservação dos solos, que estavam deteriorados com a mecanização. “Devido ao alto custo da mão-de-obra, desenvolver novas tecnologias para a mecanização de colheita e também para o manejo integrado de pragas e doenças são essenciais para aumentar a viabilidade econômica da cultura” concluiu.

Embora o gergelim na Venezuela seja utilizado somente para a alimentação e não para o biodiesel, a sua base genética interessa ao Brasil. “Eles tem uma base ampla e no programa estão desenvolvendo cultivares adaptadas à colheita mecanizada o que também é de nosso interesse”, diz a pesquisadora da Embrapa Algodão, Nair Arriel.

Hoje, o programa da Embrapa tem as mesmas diretrizes para o desenvolvimento da cultura, com rendimentos de aproximadamente 2.000 Kg de grãos/ha, teor de óleo nas sementes acima de 50%, tolerância às principais pragas e doenças da cultura. e sementes de coloração branca, que são as mais aceitas no mercado. A Embrapa Algodão já disponibilizou cinco cultivares comerciais para o Nordeste do Brasil, sendo  a BRS 196 e a BRS Sede as principais. A BRS Seda está entre as cinco mais cultivadas no País.

“O gergelim, como uma espécie oleaginosa, é uma alternativa para a obtenção do biodiesel. Hoje em dia, é cultivado principalmente nas regiões Nordeste e Centro-oeste”., declara Arriel

Atualmente, o Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel - PNPB tem favorecido a expansão da implantação de lavouras com gergelim no cerrado, com apoio do Ministério do Desenvolvimento Agrário. As principais atividades incentivadas pelo MDA são projetos para qualificação de técnicos envolvidos no sistema de produção do gergelim e ações de pesquisa para validar cultivares e seus respectivos sistemas de produção.

Um dos problemas do gergelim é a colheita, e para solucioná-lo alguns produtores estão adaptando máquinas e implementos para viabilizá-la e, assim, diminuir o custo da mão-de-obra. “Se a colheita não for bem feita, a perda chega até a 70%”, alerta a pesquisadora da Embrapa. Existe o ponto ideal para colheita, que já está definido. “

A pesquisa também está investindo em variedades que apresentem maior retenção de sementes na cápsula” concluiu Nair Arriel.

Benefícios do gergelim
O gergelim é rico em sais minerais, como cálcio, ferro, fósforo, potássio, zinco e selênio. Também são encontradas vitaminas A, C e do complexo B e niacina. É fonte de proteínas, fibras e lipídios. Tem ômega 3, 6 e 9.

O grão é usado principalmente na indústria de panificação, de biscoitos e confeitos, de cereais matinais, na indústria de cosméticos e flavorizantes e em laboratórios farmacêuticos. A torta pode ser usada para alimentação humana e animal. A casca é usada para adubação do solo. O óleo também é aproveitado para cosméticos, massoterapia e em laboratórios e farmácias de manipulação.

O Mercado do gergelim
O Brasil é considerado país importador de gergelim. Os principais produtores são Índia, África do Sul, China, Paraguai, Bolívia, Venezuela, México e Guatemala. Atualmente o consumo interno é de 10.000 toneladas por ano, sendo que o país importa em torno de 50% desse total.

De acordo com o sócio-proprietário da empresa Sésamo Real, Túlio Benatti, em 30 anos, o consumo anual de gergelim no Brasil aumentou de mil toneladas para 10 mil toneladas. “O valor pago ao agricultor aumentou 50% entre 2009 e 2011, passando de R$ 2,00 a R$ 3,00 por quilo. Nosso mercado movimenta em torno de 53 milhões de reais por ano”, destaca Benatti.
Tags: Gergelim