PUBLICIDADE
CREMER2024 CREMER2024
Dendê / Palma

Malásia contestará na OMC proibição do óleo de palma imposta pela UE


BiodieselBR.com - 18 jul 2019 - 09:17

A Malásia vai desafiar a proibição do uso de óleo de palma no mercado de biocombustíveis da União Europeia (UE) na Organização Mundial do Comércio (OMC). A reclamação deverá ser apresentada formalmente até o mês de novembro.

A informação foi confirmada a jornalistas pela ministra das indústrias primárias do país asiático Teresa Kok durante um evento de produtores de palma. “Os documentos já estão nos escritórios da advocacia geral [do governo maláio] nesse momento”, informou.

Proibição

Em meados de março, a Comissão Europeia impôs uma série de limitações ao uso de óleo de palma em seu mercado de biocombustíveis.

Pelas novas regras, somente o óleo produzido a partir a palma plantada em propriedades rurais de, no máximo, 2 hectares será considerado ‘sustentável’ e, portanto, poderá ser contato dentro das metas de energia renovável do bloco. A mudança motivou protestos por parte dos governos da Malásia e Indonésia – os dois principais produtores de palma-de-óleo do mundo.

Reeleito

Também essa semana, o presidente reeleito da Indonésia, Joko Widodo, sinalizou que também está disposto a enfrentar a UE para manter o mercado europeu aberto.

A indústria de palma-de-óleo representa 3,5% do PIB indonésio. No ano passado, as exportações de óleo vegetal renderam US$ 17,8 bilhões ao país.

Fábio Rodrigues – BiodieselBR.com