Segurança alimentar

Óleos vegetais subiram 8,1% em três meses, FAO


BiodieselBR.com - 04 out 2019 - 08:17

Os preços dos óleos vegetais seguem encontrando sustentação. Segundo os números mais recentes publicados pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), as cotações médias dos 10 óleos mais negociados do mundo fecharam o mês de setembro valendo 1,3% mais do que em agosto.

O Índice FAO do Preço dos Alimentos aponta que a cesta dos óleos vegetais fechou o mês passado em 135,7 pontos contra 133,9 de agosto. Essa foi a terceira alta consecutiva dos preços que já acumulam valorização pouco maior que 8,1% desde junho, quando o mercado virou de baixa para alta.

A nova valorização puxou o mercado de óleos vegetais para seu maior patamar em mais de um ano. A última vez em que os preços estiveram tão elevados foi em agosto de 2018 quando o Índice FAO estava em 138,2 pontos.

A alta foi puxada pela valorização das cotações dos óleos de palma e de colza/canola. No primeiro caso o vetor mais importante foi o aumento do consumo na China e na Índia; já no segundo a piora nas perspectivas da produção europeia pesaram mais. Os aumentos foram suficientes para compensar as quedas no mercado de óleo de soja e de girassol.

O choque causado pelo ataque às instalações petrolíferas na Arábia Saudita sobre o barril de petróleo também influenciou resultado ao tornar a produção de biodiesel mais atrativa em relação ao diesel fóssil.

Maior

Os óleos vegetais tiveram a maior valorização entre todas as classes de commodities alimentares que fazem parte do Índice FAO. Apenas as carnes também fecharam setembro em alta – aproximadamente 0,7%.

No geral, o mercado de alimentos fechou o mês passado parado. O indicador ficou em 169,9 pontos, exatamente o mesmo patamar de agosto.

Fábio Rodrigues – BiodieselBR.com