União Europeia

União Europeia quer antecipar proibição de carros à combustão para 2025


Canaltech - 24 nov 2020 - 10:06

O caminho para a indústria automotiva é mesmo a eletrificação e já existem movimentos das autoridades pelo mundo para fazer com que isso aconteça o quanto antes. A Europa, continente onde os carros elétricos são bem presentes, deve ser a primeira praça a extinguir os veículos movidos à combustão, como os movidos à gasolina e diesel — e isso deve ocorrer em breve.

Segundo o jornal alemão Bild, especialistas do Grupo de Assessoria sobre Normas de Emissões de Veículos (AGVES) estabeleceram novas recomendações para a norma Euro 7, que vai mudar a legislação sobre os carros na Europa em 2025. Após essas mudanças, ficará praticamente impossível que veículos à combustão circulem na região.

As novas normas ainda serão mais debatidas, mas, com metas ambiciosas motivadas pelo cumprimento de metas para o Acordo de Paris, tudo leva a crer que a Europa deve mesmo ser o primeiro continente a abolir os carros como conhecemos. Algumas entidades, porém, contestam essa mudança, como a VDA, a Associação Alemã da Indústria Automotiva.

Por meio de seu presidente, Hildegard Müller, a instituição disse que ainda não existem carros elétricos com bateria o suficiente para viagens longas e que atendam à demanda de todos os motoristas do continente. Além disso, ele defendeu o investimento em combustíveis renováveis e em células de combustível, ao invés de proibições. Vale lembrar que o etanol não é tão popular na Europa como no Brasil e nos Estados Unidos.

Veja abaixo um resumo das novas diretrizes propostas para o Euro 7:

- O limite de emissão para veículos, que seria limitado a 30 mg de óxidos de nitrogênio por quilômetro deve ser, agora, de no máximo de 10 mg/km;
- As emissões de CO2 devem ser reduzidas para 100-300 mg/km;
- Não haverá mais exceções no teste Real Driving Emissions (RDE), que mede as emissões de poluentes, como óxidos de nitrogênio (NOx) e partículas que os carros emitem ao rodar na estrada;
- Os veículos devem atender aos requisitos entre -10ºC e 40ºC, e em altitudes de 1.000 e 2.000 metros acima do nível do mar;
- A vida útil dos veículos novos é definida em 15 anos e/ou 240.000 quilômetros, e estão incluídas as emissões produzidas na condução com reboque, bagageiro ou porta-bicicletas;

Segundo o site especializado em veículos elétricos Inside EVs, a decisão sobre essas modificações deve ocorrer apenas em 2021. Levando em consideração o tempo que as montadoras precisariam para efetuar todas as adaptações, é possível que vejamos muitos problemas em 2025.