Indonésia

Preços do óleo de palma levam Indonésia a adiar B40


BiodieselBR.com - 30 ago 2021 - 09:26 - Última atualização em: 30 ago 2021 - 13:53

O plano do governo da Indonésia de elevar a mistura obrigatório de biodiesel para B40 deve sofrer mais um adiamento. Segundo a agência de notícias Reuters, dessa vez o governo de Jacarta avalia que as atuais cotações do óleo de palma tornam a medida pouco atrativa nesse momento.

A nova mistura deveria ter sido implementada já na virada deste ano, mas acabou sendo adiada em função da pandemia do novo coronavírus. Desde o ano passado, a Indonésia usa B30.

Não há um novo prazo para a implementação do aumento da mistura. “Ainda não temos um cronograma para o B40, embora estejamos prontos de um ponto de vista técnico”, disse à Reuters o diretor geral do Ministério da Energia da Indonésia, Dadan Kusdiana.

Maior produtor

Pelas contas do Departamento da Agricultura do governo dos Estados Unidos, na última temporada agrícola a Indonésia produziu 43,5 milhões de toneladas de óleo de palma. Esse montante corresponde a 62,4% da produção global da commodity.

O programa de biodiesel da Indonésia foi implementado para reduzir as importações de diesel e dar suporte aos preços do óleo no mercado internacional. Os aumentos ambiciosos da mistura obrigatória tornaram o país o maior produtor global de biodiesel já em 2019. No ano passado, a produção foi de 8,6 milhões de m³.

Nos últimos meses, contudo, as cotações globais dos óleos vegetais tiveram altas consideráveis. Segundo a FAO, em maio os preços dos 10 óleos mais negociados no mercado global atingiram seu maior patamar em mais de uma década. Embora tenham refluído nos últimos dois meses, as cotações continuam elevadas.

Com o aumento dos preços do óleo de palma, os gastos com subsídios para a mistura de 30% de biodiesel têm girado entre US$ 3,1 e US$ 3,2 bilhões. Para implementar o B40 agora, esse custo chegaria a US$ 4,1 bilhões.

Fábio Rodrigues – BiodieselBR.com
Com informações Reuters
 

Tags: Indonesia B40