EUA

Uso de tecnologia em esmagadoras aumenta produção de óleos vegetais


BiodieselBR.com - 28 set 2012 - 09:23 - Última atualização em: 29 nov -1 - 20:53
novo metodo_esmagamento_280912
Um novo uso para uma tecnologia amplamente dominada pode aumentar a disponibilidade de óleos vegetais para a indústria do biodiesel. A inovação foi obtida por pesquisadores da divisão de pesquisas do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA, na sigla original em inglês). Eles adaptaram tecnologias bem conhecidas de escaneamento às plantas de esmagamento de oleaginosas e, com isso, obtiveram aumentos na produtividade.

O processamento industrial dessas matérias-primas é difícil de otimizar pois costuma ser atrapalhado pelas variações naturais no teor de óleo dos grãos que estão sendo processados. Para tentar contornar o problema, pesquisadores do Serviço de Pesquisas Agrícolas do USDA adaptaram um equipamento de espectroscopia por reflectância no infravermelho proximal – um tipo de equipamento capaz de medir a composição química de objetos – de forma que ele gerasse informações sobre a composição dos grãos esmagados.

Embora o equipamento já seja usado há anos pela indústria de alimentos, os pesquisadores desenvolvera um modelo que permite o aproveitamento dos resultados em tempo real. Com base nos dados coletados o maquinário industrial pode ser ajustado de acordo com a matéria-prima – funcionando por períodos mais prolongados ou curtos dependendo do teor de óleo contido nela. A solução foi testada com sucesso numa unidade de esmagamento de canola.

Com isso, o rendimento do processamento melhora, diminuindo os custos de produção e a demanda por áreas agrícolas.

Segundo os pesquisadores a margem de erro do processo ficou entre 0,5% e 0,73%. Os resultados foram publicados no Journal of Near Infrared Spectroscopy.

Fábio Rodrigues – BiodieselBR.com
Com informações: USDA