BASF
Univaldo Vedana

O Futuro do Biodiesel depende da Matéria-Prima


Univaldo Vedana - BiodieselBR - 14 set 2006 - 12:22 - Última atualização em: 09 nov 2011 - 19:22

O Usineiro de biodiesel que não se preocupar com a garantia do fornecimento de sua matéria prima ao longo do ano, estará sem dúvida fadado ao fracasso. O fabricante não poderá ficar amarrado ao preço do mercado de óleos e gorduras, o aumento da procura mundial por óleos vegetais para fins energéticos está apenas começando. Como exemplo, nos últimos doze meses enquanto a soja e o farelo tiveram uma queda de preços superior a 16%, o óleo degomado de soja subiu mais de 10%.

Para se garantir de matéria-prima, o industrial deverá fazer parcerias com os produtores rurais de sua área de atuação, através do sistema de integração ou garantindo em contratos a compra da safra futura, onde o usineiro garante a compra antecipada da produção.

O produtor rural brasileiro tem a terra, máquinas, equipamentos e tecnologia para produzir diversas oleaginosas, ocupando suas áreas ociosas de março a outubro, falta-lhe somente a garantia de que alguém compre sua produção de oleaginosas para biodiesel. Não estou falando da soja, pois esta já tem sua comercialização consolidada.

Inúmeros são os casos de produtores que plantaram mamona, girassol, linhaça e diversas outras oleaginosas no último ano e após a colheita ficaram com a produção estocada, sendo obrigados a vender por preços abaixo do custo.

Faço aqui um alerta ao produtor rural, não plante nem um tipo de oleaginosa pensando em vender a uma usina de biodiesel, sem ter um contrato de venda da produção com uma empresa séria.

Não podemos continuar na mão de alguns vendedores de sementes espertinhos que para se livrarem de seus estoques prometem mundos e fundos ao produtor rural.
E num futuro próximo os trabalhadores migratórios encapuzados do corte da cana, terão emprego fixo e não temporário, garantido e mais leve com o pinhão manso. E ainda, perto de sua terra natal.

O norte do Mato Grosso produz muito milho na segunda safra e vende a menos de 60 dólares por tonelada. Porque não poderemos fazer álcool, se uma tonelada de milho rende cerca de 350 litros de álcool e 500 quilos de farelo? Uma boa pergunta.

Univaldo Vedana é especialista em biodiesel e responsável pela primeira fábrica de biodiesel do país abrangendo todo o processo de produção.