Univaldo Vedana

Espaçamento, adensamento e podas do pinhão manso


Univaldo Vedana - 11 abr 2007 - 19:49 - Última atualização em: 09 nov 2011 - 19:23

Quando conheci o pinhão manso em 2003, fiz o plantio de algumas plantas com o objetivo de observar suas características, seu desenvolvimento, sua floração e a formação dos frutos. Na época encontrei pouca literatura sobre a planta.  A primeira particularidade observada foi de que o pinhão manso emite a flor e frutifica no broto misto do ano. Com este detalhe da planta deduzi que a produção de frutos por planta estava diretamente relacionada com a quantidade de brotos novos que a planta emite no inicio da primavera. A segunda característica observada na planta foi que enquanto os frutos da primeira florada estavam se desenvolvendo, surgiam dois brotos novos, um de cada lado do pedúnculo, formando uma forquilha com a emissão de mais uma florada por ramo. Em alguns ramos, no período de setembro de 2003 a junho de 2004, ocorreram 5 florações.

Isto nos leva a uma conclusão: quanto mais brotos novos a planta produzir, maior será a produção, desde que a área tenha a adubação e umidade adequadas. O complicado é determinar qual será o numero ideal de brotos por planta e plantas por hectare para atingirmos o máximo de produção. O melhor espaçamento será de 2 x 3 metros, com 1.667 plantas por hectare com 40 brotos por planta, ou 1 x 3 metros com 3.334 plantas por hectare com 25 brotos por planta?

 O pinhão manso é uma planta heliófila, em um plantio adensado seus brotos crescem muito, tornando-se finos e compridos (buscam o sol), diminuindo suas floradas e conseqüentemente a produção. O plantio adensado ainda implica em mais mão de obra na poda e condução do pomar, mas traz uma redução nos custos para a manutenção da área limpa.

Uma prática obrigatória do jatrofacultor será a poda anual, para trazer uma melhor formação da planta e para limitar a altura, visando um maior rendimento de colheita por trabalhador.

 A definição do melhor espaçamento, da melhor densidade, do melhor sistema de podas, da melhor fórmula de adubação, enfim da definição técnica e científica do que será melhor para o pinhão manso não cabe a nós, entusiasta desta planta, mas sim aos inúmeros órgãos e centros de pesquisa e as dezenas de universidades agronômicas espalhadas pelo Brasil.

Enquanto isto não acontece, não podemos cruzar os braços e aguardar longos anos até que os pesquisadores definam o que será melhor para a jatrofacultura, para só então iniciarmos o plantio. Devemos continuar e incentivar o que já está sendo feito por muitos produtores, que sem grandes investimentos fizeram seus plantios experimentais e já colheram os primeiros resultados práticos de seus plantios.

É importante para toda a comunidade do pinhão manso a experiência dos plantadores, positiva ou negativa, seja compartilhada. Para isso, convido aquele que tem experiência no cultivo do pinhão manso que utilize os espaços abertos por este portal, os comentários após cada notícia, o blog ou o fórum, para divulgar sua experiência com a Jatropha curcas. Com isto cada um estará fazendo a sua parte neste belo projeto de pinhão manso, evitando que alguns cometam os mesmos erros e possam conduzir suas culturas com os acertos de outros.

Univaldo Vedana é diretor da BiodieselBR.com e analista do setor de biodiesel.