Biodiesel

Restaurantes "fazem" combustível


Observatório do Algarve - 05 ago 2008 - 05:36 - Última atualização em: 09 nov 2011 - 19:06

"Recolha os óleos alimentares que já não necessita, coloque-os dentro de uma garrafa de plástico e entregue-a num dos restaurantes aderentes". A mensagem não podia ser mais simples e faz parte da campanha da AMI (Assistência Médica Internacional) para diminuir a poluição do planeta, lutar contra a degradação ambiental e as alterações climáticas e contribuir para a independência energética do país.

As receitas angariadas com a valorização dos óleos alimentares resultam em donativos para auxiliar a AMI na luta contra a exclusão social, e o Algarve tem aderido em massa...à recolha de óleo.

O snack-bar Ana Paula Pinto, em Faro, abraçou a iniciativa há cerca de dois anos. “É uma forma de ajudar o ambiente. O óleo que é consumido aqui é recolhido e depositado nuns bidões que nos trouxeram. A recolha é feita esporadicamente, mas eu quando tenho o bidão cheio ligo-lhes e eles vêm buscar. Os rapazes que cá vêm até se deslocam com biodiesel e tudo.” afirma Vítor Pinto, gerente do snack-bar.

Por enquanto, Vítor armazena apenas os óleos provenientes do seu estabelecimento, mas está disponível para aceitar a contribuição de todos os que queiram cooperar.

Também Ruben Rodrigues, proprietário do café Fiote (Faro) decidiu aderir à campanha no final de 2007.

Enviou uma carta a manifestar a vontade de contribuir, e posteriormente recebeu a visita de técnicos da empresa Resivalor.

“Eles disseram que vinham cá de tempos a tempos para fazer a recolha mas nunca apareceram. Eu tenho ali um ou dois garrafões com óleo mas acho que os vou dar a um amigo que também faz recolha”, assegura o proprietário.

José Martins Afonso, dono do snack-bar Afonso (Faro), diz que está interessado em aderir ao projecto, mas os bidões são muito grandes e não tem espaço suficiente para os receber.

Ainda assim, encontrou uma alternativa: “Tenho um amigo que emprega os óleos usados num motor de tirar água e eu dou-lhe. Não os jogo pelos esgotos porque polui", declara.

A reutilização de óleos alimentares como combustível, para além de evitar a contaminação das águas residuais, contribui também para reduzir as emissões dos Gases de Efeito de Estufa (GEE). Transformados em biodiesel, os óleos fornecem uma alternativa ecológica aos combustíveis fósseis.

Segundo a AMI, Portugal produz cerca de 120 milhões de litros de óleos alimentares por ano, quantidade suficiente para fabricar 170 milhões de litros de biodiesel. Um número que equivale a 0,5 por cento do total das importações anuais portuguesas de petróleo.

Em Janeiro de 2007, o Governo estabeleceu uma meta que prevê a incorporação de 10 por cento de biocombustíveis, até 2010, como substitutos da gasolina e gasóleo.

Se quiser aderir à recolha, pode ver a lista completa dos restaurantes aderentes aqui.

Isa Barros