PUBLICIDADE
cremer cremer
Biodiesel

Petrobras nega perda de auto-suficiência e projeta superávit comercial de US$ 500 milhões


Agência Brasil - 08 jul 2008 - 05:25 - Última atualização em: 09 nov 2011 - 19:06

O diretor de Abastecimento e Refino da Petrobras, Paulo Roberto Costa, negou hoje (07), no Rio, que o país tenha perdido a auto-suficiência na produção de petróleo e afirmou que a estatal deverá fechar o ano com saldo de cerca de US$ 500 milhões em sua balança comercial.

Ao falar duante o lançamento da segunda fase do Programa Nacional de Expansão e Modernização da Frota de Petroleiros (Promef II), Costa esclareceu que nos primeiros quatro meses do ano o saldo foi negativo em razão do crescimento da demanda por óleo diesel, em decorrência da expansão da economia, da maior necessidade de despacho por parte das usinas termelétricas movidas a óleo combustível e também da expansão da agricultura.

“No segundo semestre, com o aumento da produção nacional de petróleo e de diesel, além da mistura de 3% de biodiesel ao diesel, a tendência é de elevação das exportações e redução das importações”, disse Costa. A balança comercial de líquidos da Petrobras nos primeiros cinco meses do ano (petróleo e derivados) foi, segundo Costa, positiva em volume em 91 mil barris/dia, embora negativa em valor (cerca de US$ 641 milhões).

O executivo adiantou que, com a entrada em operação de cinco plataformas e de novos poços nas cinco plataformas que entraram em produção no ano passado, haverá maior disponibilidade de petróleo nacional para exportação.Mas a Petrobras – ressaltou – quer é ser uma grande exportadora de derivados, em futuro próximo. “Estamos construindo, até 2016, cinco novas unidades de refino, das quais duas serão de grande porte e voltadas principalmente para exportação”, afirmou.

Além do aumento da produção de óleo, a modernização das refinarias também contribuirá de forma decisiva para que o país reverta o quadro atual e feche 2008 superavitária em sua balança em torno dos US$ 500 milhões, “embora seja ainda cedo para previsões dessa natureza”, admitiu.

Mas a  Petrobras,  ressaltou,  quer  é ser uma grande exportadora de derivados, em um futuro próximo. Estamos  construindo,
até 2016, cinco novas unidades de refino, das quais duas serão de grande porte e voltadas principalmente para exportação”, afirmou.

Sobre a questão da auto-suficiência, o diretor informou que ela está mantida, uma vez que a produção nacional atual hoje é de cerca de 1,86 milhão de barris de petróleo por dia, contra um consumo de cerca de 1,7 milhão de barris/dia.