PUBLICIDADE
cremer
Biodiesel

Geada pode prejudicar lavouras na região de Erechim (RS)


Clic Erechim - 12 set 2008 - 05:25 - Última atualização em: 09 nov 2011 - 19:07

As temperaturas baixas e a formação de geada, registradas no inicio desta semana na região de Erechim (RS), poderão causar danos ao trigo, milho, cevada, canola e a fruticultura, principalmente ao cultivo de pêssego e uva. A lavoura de trigo, com área de plantio de 73 mil hectares, está 80% da área plantada e encontra-se em fase de emborrachamento e 20% em espigamento e início de floração. “Com a ocorrência de ventos muito frios e formação de geada, poderá haver danos na cultura, que deverão se comprovar nas próximas semanas”, prevê o assistente técnico regional da Emater/RS-Ascar, Flávio Bonfada. De acordo com Bonfada, a lavoura de trigo apresenta bom desenvolvimento vegetativo. Os triticultores estão realizando tratamentos fitossanitários para controlar as doenças e pragas. A produtividade média esperada é de 2.400 kg/ha.

A canola, de acordo com Bonfada, com área de plantio em torno de 900 hectares na região, está em fase final de floração e início de formação de vagens com bom aspecto fitossanitário a nível de propriedade rural. A ocorrência de geada também poderá causar perdas na cultura. A canola na região é cultivada para a produção de biodiesel, em convênio com a Empresa BS-Bios de Passo Fundo. A produtividade inicialmente esperada era entre 1.600 a 1.800 kg/Ha.

Também prossegue na região o plantio da lavoura de milho. A Emater/RS-Ascar estima que cerca de 30% da área esteja plantada e em fase de germinação e início de desenvolvimento vegetativo. “A geada poderá causar perdas na área germinada”, analisa Bonfada. Os produtores da região continuam com o preparo do solo com manejo das plantas de cobertura. O milho está sendo plantado no sistema de plantio direto na palha.

A cevada, com área de plantio de 3.500 hectares na região, encontra-se 80% em fase de emborrachamento e 20% em início de espigamento. A ocorrência de geadas pode ter causado danos à cultura. Com aspecto de campo muito bom, a cultura apresenta um bom desenvolvimento vegetativo. Os produtores estão realizando controle de doenças e pragas da cultura. A produtividade inicialmente esperada é de 2.700 kg/ha.