Negócio

Petróleo recua após relatório da Opep sobre projeções de demanda para 2021


Valor Econômico - 16 jul 2021 - 09:02

Os contratos futuros do petróleo fecharam em queda nesta quinta-feira (15), pressionados pela perspectiva de recuperação da oferta da commodity e por uma valorização do dólar. O relatório da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), que manteve as projeções de demanda global estáveis, também influenciou nas sessões de hoje da commodity.

O contrato do petróleo Brent para setembro fechou em queda de 1,72%, a US$ 73,47 por barril, na ICE, em Londres, enquanto o do petróleo WTI para agosto recuou 2,02%, a US$ 71,65 por barril, na Bolsa de Mercadorias de Nova York. O índice dólar DXY, que normalmente tem correlação negativa com o petróleo, subia 0,22%, a 92,610 pontos, no meio da tarde desta quinta.

O relatório divulgado hoje pela Opep manteve a projeção do grupo para a demanda global de petróleo em 2021 estável, prevendo crescimento de 6 milhões de barris por dia no ano. Para 2022, a expectativa é de alta de 3,3 milhões de barris diários, na comparação anual, para uma demanda média de 99,86 milhões de barris por dia.

O relatório da Opep vem na esteira da notícia de que a Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos estão próximos de alcançar um acordo oficial para elevar o teto de produção para os membros da Opep e aliados, depois de um impasse que impediu um acordo na reunião do grupo da semana passada.

No acordo, supostamente alcançado ontem, o grupo concordou em aumentar a produção em 3,65 milhões de barris por dia a partir de abril, mas, em comunicado, o ministro da energia dos Emirados Árabes negou que um acordo tenha sido alcançado e que “as deliberações e consultas entre as partes interessadas ainda estão em andamento'', informou a Reuters hoje.

Além da especulação em torno da redução dos cortes de produção da Opep, os dados oficiais de estoques de petróleo dos Estados Unidos, divulgados na quarta (14), deram menos suporte do que o esperado aos preços.

A Administração de Informação de Energia (EIA, órgão ligado ao DoE) relatou, ontem, que os estoques de petróleo bruto dos EUA caíram 7,9 milhões de barris na semana encerrada em 9 de julho, superando a expectativa dos analistas ouvidos pelo "Wall Street Journal", que previam um declínio de 4 milhões de barris para os estoques de petróleo.

André Mizutani – Valor Econômico