Negócio

Maior refinaria da Petrobras, Replan tem queda de 9% na produção no 1º quadrimestre


G1 - 04 jun 2019 - 09:49

A Refinaria de Paulínia (Replan), maior planta da Petrobras, processou 5.814.819 metros cúbicos de petróleo no 1º quadrimestre de 2019, volume 9,2% menor que o registrado no mesmo período do ano passado, quando refinou 6.405.327 (m³). Os dados estão no relatório da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Em abril, o volume processado foi de 1.602.882m³, uma redução de 9,1% em relação ao mesmo mês de 2018. Apesar da queda, a quantidade de petróleo refinada é a segunda maior na Replan desde a retomada de 100% da produção da planta - entre 20 agosto de 2018 e 25 de janeiro de 2019, ela operou com capacidade reduzida em virtude de uma explosão seguida de incêndio.

Derivados

Responsável por 21% de todo o refino de petróleo do Brasil, a Replan produz gasolina, diesel, querosene de aviação, gás liquefeito de petróleo (GLP), óleo combustíveis, asfalto e outros derivados. Em abril, os principais produtos também apresentaram queda na comparação com o mesmo mês de 2018. Veja abaixo

 

 

Os derivados de petróleo produzidos pela Replan atendem os seguintes mercados:

– Interior de São Paulo;
– Sul de Minas;
– Triângulo Mineiro;
– Mato Grosso;
– Mato Grosso do Sul;
– Rondônia;
– Acre;
– Goiás;
– Brasília (DF);
– Tocantins;

Procurada para comentar os números de produção, a Petrobras informou em nota que a "Refinaria de Paulínia (Replan) conta com 100% da sua capacidade nominal para processamento de petróleo" e que "o processamento de carga na Replan é feito atendendo a planejamento diário da empresa que considera o conjunto das unidades de refino da companhia."

Manutenção programada

Entre a noite de domingo (02) e a madrugada desta segunda (03), moradores da região registraram em fotos e vídeos aumento nas chamas dos chamados "flares", sistema de queima de combustíveis e gases na refinaria de Paulínia. Em nota, a Petrobras informou que o fato ocorreu em virtude de uma manutenção programada.

"A Petrobras informa que uma das unidades de Craqueamento Catalítico (U220) da Replan passou por intervenção de manutenção programada e está, no momento, em procedimento normal de partida para a sua operação, ocasionando o aumento das chamas nas tochas. Esse é um procedimento de segurança realizado automaticamente e não traz nenhum risco às comunidades do entorno", diz a nota.