PUBLICIDADE
cremer
Diesel renovável

Petrobras conclui testes com diesel RX em frota de ônibus em Curitiba


BiodieselBR.com - 25 nov 2022 - 09:54

Segundo a Petrobras, foram bem-sucedidos os testes de campo de seu diesel RX – produto que sai diretamente das refinarias com uma parcela renovável. Os resultados foram divulgados pela petroleira nessa quarta-feira (23) em cerimônia realizada na Presidente Getúlio Vargas localizada na cidade paranaense de Araucária (PR).

Os ensaios realizados em parceria com a Vibra, a Mercedes-Benz e a URBS aconteceram em Curitiba (PR). Durante seis meses uma frota de quatro ônibus da Autoviação Redentor rodou usando diesel R5 – que contêm 5% de material renovável – em três rotas distintas.

Foram consumidos 100 mil litros de R5 ao longo dos trabalhos.

“Este foi o primeiro teste de diesel com conteúdo renovável realizado no Brasil em condições reais de uso. Ficamos muito satisfeitos com os resultados que comprovam a viabilidade do diesel R5”, comentou o diretor de Comercialização e Logística da Petrobras, Claudio Mastella.

Drop in

O principal resultado do teste foi validar o diesel RX como um combustível drop in quimicamente idêntico ao diesel de petróleo. Essa similaridade permite que o produto seja usado em qualquer percentual sem a necessidade de fazer modificações nos motores ou na infraestrutura de distribuição e revenda.

Nos testes não foram observados problemas relacionados ao entupimento de filtros, depósitos no sistema de injeção ou perda de potência dos motores. Em relação ao consumo, o novo combustível não apresentou diferenças em relação ao diesel mineral. “Conforme apresentado pelos parceiros, não houve nenhum ônus ao consumo ou à performance dos veículos. (...) Então os testes foram bastante satisfatórios, podendo o Diesel R5 suprir a necessidade operacional do sistema de transporte coletivo", afirmou Alyson do Prado Wolf, da Unidade de Inspeção de Frota da URBS – empresa que administra o sistema curitibano de transportes coletivos.

Nas contas dos responsáveis pelos testes, para cada 9,5 mil litros de diesel R5 consumidos é evitada a emissão de uma tonelada de gás carbônico.

Polêmica

O diesel RX vem tensionando a relação entre Petrobras e o setor de biodiesel. O produto é baseado no HBio uma tecnologia desenvolvida pela estatal que permite processar óleos e gorduras renováveis junto com correntes de petróleo nas refinarias.

Embora tenha sido lançado em 2006, a tecnologia de coprocessamento acabou engavetada [https://www.biodieselbr.com/noticias/biodiesel/petrobras-produzir-hbio-30-07-07] porque, na época, não tinha viabilidade financeira. Foi só em 2020 que a Petrobras voltou a se interessar publicamente pelo HBio e passou a pressionar a ANP para incluir seu combustível coprocessado não apenas na regulamentação do diesel verde como, ainda, que seu percentual renovável pudesse ser contado no mandato [https://www.biodieselbr.com/noticias/biocombustivel/cana/estamos-otimistas-com-a-regulamentacao-do-diesel-verde-diz-diretora-da-petrobras-170920] de biodiesel.

Embora a ANP tenha deixado o diesel coprocessado de fora da especificação do diesel verde. No entanto, o mercado entende que a decisão do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) desta segunda-feira (21) abre o caminho para que a Petrobras coloque o diesel RX no mercado.

A Petrobras tem planos de investir US$ 600 milhões nos próximos quatro anos para ampliar a oferta do diesel RX e instalar uma biorrefinaria dedicada. No total, o grupo mira 1,3 milhão de m³ em capacidade produtiva.

Fábio Rodrigues – BiodieselBR.com
Com informações Petrobras Fatos e Dados{/viewonly}