Selo Combustível Social

PBio assina contrato para compra de gordura de frango no Selo Social


BiodieselBR.com - 10 fev 2016 - 14:08
PBioCoasul 100216
A Petrobras Biocombustível (PBio) está a um passo de incrementar o uso de gordura de frango na produção de biodiesel. Nessa quarta-feira (03) a empresa assinou contrato com a Coasul para a aquisição da gordura proveniente do abatedouro de aves pertencente à cooperativa localizado no município de São João (PR). O material será usado pela empresa como parte de suas obrigações relativas ao Selo Combustível Social.

Inaugurado há cinco anos, o abatedouro da cooperativa processa cerca de 160 mil aves por dia provenientes de granjas espalhadas pelo sudoeste do Paraná. O contrato prevê o fornecimento da gordura produzida a partir do processamento das vísceras das aves. A expectativa é atingir a cifra de 3.800 toneladas de gordura por ano.

Segundo o presidente da Coasul, Paulino Fachin, este é um arranjo inédito no Brasil. “Como nós produzimos frango com fornecedores que se enquadram na agricultura familiar, viabilizamos o convenio vai beneficiar esses produtores” disse acrescentando que o contrato deve beneficiar 148 agricultores.

Gordura animal

Esse novo arranjo só se tornou possível depois da reforma das regras do Selo Combustível Social em setembro passado com a publicação da Portaria 337/2015 pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário.

Antes disso, embora não chegassem a ser proibidas as compras de gordura animal da agricultura familiar não contavam com regras específicas o que acabava desencorajando as usinas.

Minoritária

Hoje a gordura de frango é uma matéria-prima minoritária na produção de biodiesel. Dados da ANP compilados por BiodieselBR.com indicam que, ao longo do ano passado, pelo menos 1,9 milhões de litros do biocombustível foram produzidas a partir dessa matéria-prima. Isso representa pálidos 0,05% do volume total de biodiesel fabricado no período.

Pode ser que o contrato entre a PBio e a Coasul não chegue a modificar essa realidade. As regras do Selo não chegam obrigam as usinas a usar os óleos e gorduras que adquirem da agricultura familiar na produção de biodiesel.

Muitas delas acabam simplesmente revendendo a matéria-prima para usar outras mais baratas no lugar.

Fábio Rodrigues – BiodieselBR.com