Selo Combustível Social

Duas grandes usinas recebem o Selo Combustível Social


BiodieselBR.com - 14 nov 2012 - 10:55 - Última atualização em: 29 nov -1 - 20:53
selo social_cargill_bianchini_141112
Duas novas usinas de biodiesel acabam de entrar para o grupo das detentoras do Selo Combustível Social. A Bianchini e a Cargill receberam o benefício do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) nessa quarta-feira (14), bem a tempo da habilitação das usinas para o 28º Leilão de Biodiesel.

A Bianchini e a Cargill são – respectivamente – a 5ª e a 6ª maiores usinas brasileiras e estão entre as mais novas entrantes do mercado.

Localizada em Canoas (RS), a Bianchini tem capacidade para fabricar até 324 milhões de litros de biodiesel por ano. Embora a fábrica já esteja pronta para entrar em operação há quase um ano, ela só obteve o registro da Receita Federal em agosto passado.

Já a usina da Cargill está no município de Três Lagoas (MS) e tem capacidade para até 252 milhões de litros por ano. A entrada da multinacional do segmento de commodities agrícolas na produção de biodiesel aconteceu em agosto e era um dos anúncios mais aguardados pelo mercado.

Com a essa publicação, o grupo das usinas detentoras do Selo Combustível Social atingiu 40 das 64 unidades produtivas autorizadas a fabricar o biocombustível. A lista do MDA inclui ainda a Biocapital – o que elevaria o número para 41 usinas –, mas a empresa teve suas autorizações de operação e comercialização de biodiesel cassadas pela ANP em maio passado e, portanto, está fora do mercado.

Em termos de capacidade produtiva, as usinas com selo ultrapassam os 5,8 bilhões de litros por ano, isso representa 84% dos 6,9 bilhões de litros instalados no Brasil.

Essas são as primeiras concessões com a nova portaria do Selo Combustível Social publicada no mês de setembro.

Fábio Rodrigues – BiodieselBR.com