031

Aprobio - Biodiesel alavanca a diversificação de culturas: um belo exemplo, a canola


Edição de Out / Nov 2012 - 30 out 2012 - 15:27 - Última atualização em: 13 dez 2012 - 11:19
coluna aprobioEstamos vivendo no Brasil um momento muito especial através do Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel (PNPB), que trouxe muitos benefícios para a sociedade brasileira: geração de empregos; agregação ao Produto Interno Bruto (PIB); consumo de mais uma fonte de energia renovável, que contribui para a melhoria do ar que respiramos; incremento e inserção de agricultores familiares, que hoje são fornecedores cativos de matéria-prima; e também outro grande benefício, que foi a diversificação, fomento e investimento em outras culturas.

No Brasil, podemos citar vários exemplos, caso da palma na região Norte, girassol no Centro-Oeste, mamona no Nordeste, além de outras oleaginosas que estão sendo pesquisadas pela Embrapa, como o pinhão-manso, o tungue, a macaúba e várias outras culturas.

No Sul do Brasil, a canola é a cultura que tem se destacado. Ela vem se desenvolvendo ano após ano, apresentando-se como grande alternativa aos agricultores, pois é plantada no inverno, não concorre com as principais culturas de verão – que são a soja e o milho –, aproveita a área ociosa, o maquinário e a mão de obra disponíveis na propriedade, agregando mais renda ao agricultor, e também é uma opção de rotação de cultura: com a canola, o agricultor produz mais soja e milho na resteva, e trigo no ano seguinte.

Em 2012, no dia 18 de setembro, realizamos pelo quarto ano consecutivo a Abertura Nacional da Safra de Canola. Foi um ano muito atípico no Sul do Brasil, pois a região passou por uma estiagem muito grande, com uma quebra significativa na produção de soja, de forma que a canola reafirmou a sua posição como grande alternativa. Neste ano o desenvolvimento da cultura está sendo muito bom, vamos ter uma produtividade média elevada, mas o grande diferencial está sendo o preço, pois as commodities em geral estão valorizadas, e não é diferente com a cultura da canola. Os agricultores terão rentabilidade superior a 100% nas suas propriedades, e isso se dá em função da boa produção e da grande valorização das commodities agrícolas.

Quando olhamos para um cenário de futuro, percebemos que essa cultura realmente pode e vai se afirmar como a “soja de inverno” para a região Sul, assim como pode chegar a ser grande alternativa para outros estados, como é o caso de São Paulo e Mato Grosso do Sul. Toda essa revolução agrícola só está sendo possível graças ao PNPB, uma vez que antes todas essas culturas estavam disponíveis mas não possuíam mercado consumidor. As empresas que estavam instaladas não trabalhavam para desenvolver essas culturas, visto que não havia necessidade de mais matéria-prima, como acontece agora com as empresas produtoras de biodiesel.

Está comprovado que o biodiesel é muito importante para a diversificação e introdução de novas culturas no Brasil, respeitando a diversidade de cada região. A canola vem se firmando a cada ano que passa, e não tenho dúvida que com a entrada de um novo marco regulatório, mostrando um horizonte de crescimento do mercado de biodiesel no Brasil, ela tenderá a se expandir nos próximos anos a passos largos.

A Associação Brasileira dos Produtores de Canola (Abrascanola) está finalizando uma proposta de trabalho em parceria que terá o investimento de R$10 milhões na melhoria da cultura, trabalhando em dez áreas de atuação. Isso é um exemplo da importância que está sendo dada e do tanto que vem sendo investido na cultura da canola para que ela se torne a grande alternativa do Sul do Brasil.