030

Congresso Agribio: A face social


Edição de Ago / Set 2012 - 27 ago 2012 - 13:33 - Última atualização em: 27 fev 2015 - 13:24
Primeiro evento do gênero, o Congresso AgriBio debateu os desafiosda (nem sempre tranquila) relação entre usinas e agricultura familiar

Não é incomum o Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel (PNPB) causar a impressão errada nos mais incautos. Apesar do jeitão severo que o faz parecer uma daquelas políticas industriais hardcore, onde o importante é chegar rápido em escalas de produção superlativas, o programa de biodiesel possui um lado soft que nem sempre surge de primeira: seu papel como importante ferramenta na inclusão produtiva da massa de agricultores familiares brasileiros que, historicamente, não tem colhido os benefícios gerados pelo processo de crescimento econômico da nação. Foi para jogar mais luz sobre essa face da indústria de biodiesel que, no último dia 5 de julho, aconteceu em São Paulo a primeira edição do Congresso AgriBio.

Idealizado por BiodieselBR – mesma empresa responsável pelo portal e pela revista BiodieselBR –, o evento surgiu da constatação de que os objetivos sociais contidos no desenho do programa e consolidados por meio do Selo Combustível Social são importantes demais para continuarem sendo tratados como uma mera nota de rodapé na programação de eventos concebidos para discutir outros aspectos da cadeia produtiva. Já estava na hora do programa ser tratado como o assunto principal. E, considerando que todas as 180 vagas postas à disposição do público se esgotaram, fica fácil perceber que havia muito mais gente pensando a mesma coisa.

Ao justificar a relevância da iniciativa na fala que abriu o congresso, o diretor-executivo e colunista de BiodieselBR Miguel Angelo Vedana ressaltou que nenhum outro evento sobre biodiesel havia conseguido a proeza de perfilar entre seus patrocinadores todas as três entidades que representam o setor de biodiesel: Ubrabio, Aprobio e Abiove. “Isso mostra o quanto o setor está preocupado com a agricultura familiar”, celebrou.

Ainda de acordo com Vedana, o aspecto social é precisamente a particularidade que distingue o programa de biodiesel brasileiro de todas as iniciativas similares ao redor do mundo. “Nenhum outro país teve essa ideia de associar seus programas de biodiesel com a agricultura familiar”, elogiou. Ao longo do dia, vários outros palestrantes também destacariam o esforço social como a principal inovação introduzida pelo governo federal no PNPB.

A fala abriu os trabalhos do congresso, que incluíram 12 palestras organizadas em quatro painéis distintos. Confira nas próximas páginas alguns dos destaques do evento.

“Temos que nos informar sobre a credibilidade das empresas que nos procuraram, porque já tivemos casos de empresas
que achavam que iam ficar milionárias numa safra só e acabaram não indo para frente. Também precisamos tomar cuidado
com quem é o representante. Às vezes acontece de ser um profissional que não tem autonomia para negociar as condições.”
Wilson Hermuth, Presidente da Central das Cooperativas da Agricultura Familiar (Cecaf)

“As pessoas colocam muito peso na normativa, mas a  verdade é que ela não faz a inclusão social sozinha.”
“Vamos reforçar o uso do sistema [de gerenciamento de informações] para encontrar inconformidades.”
“Vamos olhar a conjuntura. Se a empresa não conseguir cumprir o percentual mínimo poderá compensar isso no ano seguinte, e também se fizer mais, poderá ficar com créditos.”
André Machado, Coordenador do MDA

“A agricultura familiar do Paraná é muito diferente da que temos no Norte e Nordeste e demanda formas totalmente diferentes de trabalho.”
“O nosso objetivo é ensiná-los a pescar e não ficar dando o peixe.”
Luis Hiroshi Shimizu, Supervisor de campo da Biopar para o programa Selo Social

“O selo é democrático e distribui renda. Isso é inovador.”
“O bônus ataca um órgão que é particularmente sensível nos empresários: o bolso.”
“As empresas fazem seus investimentos para ter o selo, mas os benefícios tributários não estão compensando.”
“Somos favoráveis ao selo [Combustível Social], mas precisamos implementar ajustes para que ele continue sendo um sucesso total.”
Erasmo Carlos Battistella, Presidente da Associação dos Produtores de Biodiesel do Brasil (Aprobio)

“Ainda temos o sonho de ver os agricultores chegarem até a fase da extração do óleo. É um sonho distante, mas as cooperativas estão se aprimorando, talvez a gente ainda consiga chegar lá.”
“No lançamento do novo Plano Safra ninguém do governo federal queria discutir biodiesel com a gente.”
“A palma não está saindo do papel porque a medida provisória que cria o programa de plantio da palma ainda não foi transformada em lei.”
“A ANP e o MME não olham para o biodiesel como um instrumento de inclusão social e redução da poluição. A gente precisa ter isso muito claramente porque se olharmos só para a questão econômica vamos ter problemas.”
Antonio Rovaris, Secretário de política agrícola da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag)

“Ninguém é contra a inclusão social. Ela é necessária, mas é complicado de fazer e criou certas confusões sobre a
operacionalidade.”
“Claro que existe uma frustração sobre a forma como o Sul se tornou o grande fornecedor do biodiesel, porque a expectativa inicial era que fosse o Nordeste.”
“Eu gostaria de ver o programa de biodiesel cada vez mais forte. Precisamos pensar grande nessa matéria e fazer com que a inclusão social não atrapalhe o processo produtivo.”
Xico Graziano, Presidente da Agrobrasil

“A agricultura de precisão é cara se for feita individualmente porque demanda instrumentos modernos e caros. Isso terá
que ser feito pelas cooperativas.”
“Se não levarem isso [a variação do preço da soja] em conta, a soja pode subir e os agricultorespodem acabar se recusandoa cumprir os contratos.”
Rui Polidoro, Presidente da Federação das Cooperativas Agropecuárias do Rio Grande do Sul (Fecoagro)

“Havia uma expectativa de que a produção de mamona iria decolar no Nordeste, mas as compras nunca chegaram a ser efetivadas.”
“No Sul, a Embrapa tem uma equipe de 50 pessoas só para trabalhar com soja. Tem equipes estruturadas para a transferência tecnológica e um volume grande de recursos. A mamona não tem nada disso.”
“Claro que algumas coisas dão errado e precisam ser abandonadas. Mas, como o objetivo é estimular, precisamos nos focar no que está dando certo e seguir em frente depurando.”
Ronaldo Perez, Professor da Universidade Federal de Viçosa (UFV)

“O estágio da agricultura familiar no Pará é basicamente de subsistência e baseada na mandioca. A maioria nem sabia
o que era uma DAP.”
“São famílias muito humildes que trabalham na terra há bastante tempo produzindo mandioca, açaí e pimenta-do-reino, mas que nunca tinham tido acesso a um sistema de escoamento da sua produção.”
Diego Di Martino, Gerente de desenvolvimento e projetos da ADM

“Temos projetos muito interessantes de plantio de dendê irrigado no Sudeste, mas isso levaria anos até amadurecer e temos um modelo que nos leva a ficar correndo atrás da soja que precisamos para o próximo trimestre.”
“Se estou investindo meu dinheiro e sou cotista, vou querer projetos que de fato deem resultados e lucro, e não apenas
notas fiscais que justifiquem meu selo.”
Ailton Braga, Economista e ex-presidente da Bioverde

“A culpa não é nem do pinhão-manso, ela é uma planta com bastante potencial. O problema é que a pesquisa começou agora e não se tinha genética definida.”
“Se olharmos para a produção mundial de óleos vegetais, vemos que a produção cresceu 30% de 2005 para cá. A palma foi a que mais cresceu, seguida pela soja.”
“Temos um projeto chamado Propalma, que conta com uma rede de 18 instituições de pesquisa e universidades e já conseguiu
alguns resultados.”
Manoel Teixeira, Chefe-geral da Embrapa Agroenergia

“Ainda faltam defensivos e sementes híbridas de boa qualidade [para a canola].”
Fábio Benin, Vice-presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Canola (Abrascanola)

“O Brasil é o único país no mundo onde a produção de biodiesel e a inclusão social tentam caminhar junto.”
Miguel Angelo Vedana, Diretor-executivo e colunista de BiodieselBR